SEJAM BEM VINDOS AO MEU BLOG, O OBJETIVO É FALAR DAS EXPERIÊNCIAS QUE TENHO AO LONGO DOS MEUS DIAS, AQUI SABERÃO UM POUCO DE MIM, DO QUE PENSO E DO QUE ACHO QUE SEI, BOA LEITURA E DIVERSÃO.

sexta-feira, 30 de março de 2012

O VERDADEIRO VENCEDOR DO BBB 12

CONVITE:

Gangsta Paradise 02:Convocação geral Ndee Naldinho, Consciência Humana e Dexter

Postado por Paula Farias em 29 de março de 2012 ás 8:17

Contagem Regressiva para o maior festival de rap nacional

É sábado (14) de abril na quadra da Peruche Gansgta Paradise 02.

Grande show com Realidade Cruel, Facção Central, DBS, Ndee Naldinho, Sistema Negro, Império Z/O, Conexão do Morro, Dexter, Consciência Humana , DeMenosCrime, Tiagão e os Kamikaze do Gueto.

Uma mega produção com telão, segurança, iluminação, som, banheiros, bar, camarotes e stand da loja Rap Power tudo para receber ao público qie virá de várias partes do Brasil.

Confira agora a convocação geral feira por Ndee Naldinho, Consciência Humana e Dexter

Adquira seu ingresso antecipado 2º lote nos pontos de vendas :

Santo André

Loja Mil Grau

Rua 15 de novembro , 152

Diadema

Shopping Popular

Loja Tiozinho do Rap – 2 piso

São Paulo

Galeria 24 de maio

Lojas –Rap Power e Subsolo

Campinas

Loja Dedi Modas

Rua 13 de maio, 115

Caravanas e pessoas de outras localidades podem adquirir o ingresso antecipado através do email paula@rapnacional.com.br ou (11)8680-0275 tim , (11) 6726-0316 OI falar com Paula Farias.

Local do show : Quadra da Peruche – Avenida ordem e Progresso, 1061 próximo a Ponte do Limão- SP.

Assessoria de Comunicação

Paula Farias

EXTRAIDO DO BLOG: TE DOU UM DADO

Promoção

Publicado por: Lele

No Ego:

Untitled 116 Nova Anatomia

Ih gente, além da ortografia resolveram reformar também a anatomia e agora "exibe a bacurinha" chama "exibe as pernas"?

EXTRAIDO DO KIBELOCO:

2030 (PARTE 23)

Senhoras e senhores, com vocês, o portal com notícias do futuro

Para ver outras notícias do futuro, clique AQUI.


MAMANO (PARTE 3)

Duvida? Clique AQUI.

MAMANO (PARTE 2)

Duvida? Clique AQUI.


MAMANO

Enquanto isso, nas bancas do Rio de Janeiro

E segue o processo de kibe-loquização da mídia convencional. :-)

EXTRAIDO DO BLOG DE ANDRÉ BARCINSKI

O jornalista que Axl Rose chamou para briga

Qualquer um que acompanhou heavy metal nos anos 80 sabe quem é Mick Wall.

Suas matérias na revista “Kerrang!” ajudaram a popularizar bandas como Metallica, Guns, Maiden, Slayer, e muitas outras.

Wall também é autor de vários ótimos livros sobre os bastidores do rock, incluindo biografias barra-pesada de Ozzy Osbourne, Led Zeppelin e Guns’n’Roses.

Este livro, aliás, irritou tanto Axl Rose que ele literalmente chamou Wall para a briga, na letra de “Get in the Ring”, do disco “Use Your Illusion 2”.

Wall acaba de lançar “Metallica – A Biografia”, sobre a história da banda californiana que saiu do gueto thrash metal para se tornar uma das potências do rock.

Conversei por telefone com Wall sobre sua carreira, suas brigas, e seu novo livro. Aí vai a íntegra do papo:

- Os integrantes do Metallica leram o livro?

-Antes de começar a escrever o livro, eu os procurei e perguntei se eles queriam estar envolvidos. Minha única condição é de que eu não daria a eles nenhum controle sobre o texto final. Como sempre, as reações foram muito diferentes. Lars concordou, mas James, não. Depois que o livro saiu, Lars me ligou e disse que tinha comprado o livro e gostado. Já James, com quem eu tinha uma entrevista marcada para uma revista, pediu para ser entrevistado por outro jornalista.

- Essas diferenças de personalidade entre Lars e James são muito marcantes, não?

- Sem dúvida. São pessoas completamente diferentes, preto e branco, yin e yang. Mas, de uma forma miraculosa, eles se encaixam. James é alto, um típico americano, sem uma escolaridade muito boa, e vem de uma família problemática. Já Lars é baixinho, vem de uma família européia, culta, filho de um homem jogador de tênis, jazzista e cineasta. James tem uma obsessão em controlar tudo. Lars é mais aberto.

- Foi Lars que sugeriu à banda dar uma guinada mais comercial em seu som, contratando um produtor acostumado a discos pop, como Bob Rock, para o “Black Album”?

- Foi. Mas James concordou com tudo. Sabe, James adora que achem que ele é rebelde e alternativo, mas ninguém o forçou a cortar o cabelo e mudar o visual da banda, e ninguém o forçou a gravar música mais comercial para fugir do gueto do heavy metal. Uma coisa que as pessoas precisam entender é que o Metallica sempre quis o sucesso, eles sempre sonharam em andar de limusine. Dá para perceber isso já no segundo disco, quando gravaram “Fade to Black”, uma balada acústica.

- É impressionante como o Metallica, uma banda que surgiu como uma força radical e alternativa, conseguiu atrair fãs que não eram fãs de metal.

- Também acho. Mas isso acontece com muitos artistas. Vá no Youtube e veja um clipe dos primórdios de Alice Cooper, por exemplo: era a coisa mais estranha e alucinada que existia. Dez anos depois, Alice estava nos “Muppets” e jantando com Groucho Marx. O Metallica sempre soube que não queria ser um Iron Maiden, tocando para um só tipo de público.

- Não é estranho para uma banda tão controladora ter permitido um filme revelador como “Some Kind of Monster”, que revela brigas e loucuras por trás da banda?

- Não, porque eles tiveram total controle sobre aquele filme. E você precisa lembrar que, na época, “The Osbornes” estava fazendo grande sucesso, então foi um passo lógico para o Metallica também entrar na onda da “reality TV”. Lars e James são muito espertos, não fazem nada sem pesar as conseqüências. O pior daquele filme foi dar a impressão de que todo mundo gostou do disco “St. Anger”, quando, na verdade, a única pessoa que falou bem dele fui eu. Todo mundo odiou.

- Você começou trabalhando em revistas de música alternativa, depois trabalhou em gravadoras, com bandas grandes, e posteriormente voltou ao jornalismo. Essa experiência de trabalhar “do outro lado”, com selos e bandas, mudou sua perspectiva sobre o mercado da música?

- Mudou completamente. Trabalhei com bandas grandes, como Thin Lizzy, Dire Straits e Black Sabbath, e isso me abriu os olhos para um fato que a maioria dos fãs não percebe: artistas são os maiores filhos da puta que existem. Eles cometem tantos – às vezes mais – erros que qualquer um de nós. São pessoas inseguras, que têm poucas chances de se dar bem na vida, e tentam agarrá-las de qualquer maneira.

- E isso mudou sua perspectiva sobre o jornalismo musical também?

- Sem dúvida. Descobri uma coisa: as pessoas que levam mais a sério o que os críticos escrevem são os próprios artistas. Cansei de ver astros do rock reclamando, como meninas adolescentes: “Mas você escreveu que era terça-feira, e ERA QUARTA! VOCÊ TEM DE CORRIGIR ISSO!” Nos anos 80, eu não podia escrever que artistas tomavam drogas ou que fodiam “groupies”, ou eles nunca mais falariam comigo. Lembre-se, era uma época em que gravadoras tinham dinheiro, repórteres viajavam semanas com bandas, havia um relacionamento muito próximo. Então, eu dava indiretas, escrevia sobre bebedeiras, e eles não pareciam se importar tanto.

- Mas depois você fez livros muito reveladores sobre Led Zeppelin, Axl Rose e Metallica…

- Sim. Chegou uma hora em que eu disse “foda-se”, já não me importava mais se os artistas iriam gostar ou não do que escrevi. Em meus livros eu conto tudo, porque não corro mais o risco de ser boicotado, como na época em que escrevia para revistas.

- E a reação dos artistas?

- Não gostam, claro. Mas não estou nem aí. Acho ridículo que esses caras queiram aparecem como pessoas perfeitas, sem defeito. Isso não existe no rock. Todo gênio do rock foi um filho da puta. John Lennon, Bob Dylan, Jagger, Richards: gênios absolutos, mas seres humanos cheios de problemas e conflitos. A vida é assim. Você já leu esse livro novo sobre o Dave Grohl? (“This is a Call”, de Paul Brannigan).

- Não. Por quê? É bom?

- É uma merda. O título tinha de ser: “Dave Grohl – Que Cara Bacana”. São páginas e páginas puxando o saco do cara, dizendo como ele é legal, como é simpático. Quem quer ler uma merda dessas?

- Você está trabalhando em uma biografia do AC/DC?

- Sim, vai se chamar “Hell Ain’t a Bad Place to Be”. Vou contar a vida desses três irmãos – Angus, Malcolm e George Young, três gênios em seus respectivos trabalhos, e também três dos seres mais durões, filhos da puta e obcecados que já existiram, e que transformaram o AC/DC, com sangue e suor, nesse monstro que é hoje.

- Nâo posso terminar sem te perguntar como é ser xingado por Axl Rose numa letra?

- (Rindo) Não foi a primeira vez que isso me aconteceu. Em 1979, Gary Numan lançou uma faixa “Replicas”. Eu tinha feito uma crítica ruim de um show dele, e ele fez uma letra assim: “E eu me virei para o público, e perguntei: ‘Vocês conhecem o Sr. Wall?’ E todos eles viraram as costas”. Mas ser xingado por Axl foi um dos grandes momentos da minha vida. Eu estava conversando com Sharon Osborne (mulher de Ozzy) outro dia, e ela me disse: “Como é estúpido o Axl! Ele te xingou num álbum que vendeu 20 milhões de cópias! Ele te transformou num astro!”

HAHAHAHHA!!!!!

DEUS ME LIVRE...

Falta de apetite sexual pode ser doença

Ausência de libido pode indicar problemas sérios como diabetes e hipertireoidismo

Isabela Zamboni


Falta de apetite sexual pode ser doença

Foto: Thinkstock/Getty Images

Um indivíduo é considerado assexual quando não sente atração por ninguém e é indiferente a relações sexuais. Há um debate sobre esse assunto: algumas pessoas acreditam que a assexualidade é uma orientação sexual, enquanto outros discordam e associam o problema à falta de libido e distúrbios emocionais. Uma pesquisa sobre sexualidade feita no Reino Unido, no Journal of Sex Research, concluiu que 1% dos entrevistados nunca se sentiram atraídos sexualmente por ninguém. Será que isso é possível ou está relacionado a fatores fisiológicos? A sexóloga Patrícia Cardoso explica quando a falta de apetite sexual pode ser uma doença:

É um problema de saúde?

Não ter vontade de fazer sexo divide opiniões: pode ser um problema de saúde ou uma opção de cada um. Porém, a sexóloga afirma: “A falta de libido pode ocorrer por motivos como depressão, uso contínuo de antidepressivos, estresse ou baixa autoestima”. Ela explica que a falta de apetite sexual pode surgir de diversos fatores e em todas as idades, principalmente no processo de envelhecimento. “Ainda existe uma crença errônea de que sexo é coisa para jovem ou que o corpo maduro já não atrai mais o parceiro”, conta Patrícia.

O que a pessoa sem libido deve fazer?

Antes de tomar qualquer atitude, a pessoa que não sente desejo sexual deve observar se ela sempre foi assim ou se a questão é atual. “Nem sempre a pessoa sabe explicar sua falta de libido, já que pode considerar normal não ter tanto apetite sexual. Se não tiver dificuldade de apontar o problema, deve buscar o auxílio que julgar melhor. Se uma mulher é sempre fogosa e, subitamente, sente uma diminuição da libido ou a completa falta de apetite sexual, pode estar sofrendo de alguma doença, como o hipotireoidismo, o diabetes, ou a consequência do climatério”, aponta a especialista.

Não gostar de sexo pode trazer problemas?

“Em algumas pessoas, a falta da atividade sexual interfere na saúde, autoestima e humor. No entanto, há pessoas que conseguem compensar essa ausência, já que o foco pode ser o trabalho voluntário, a dedicação ao próximo ou a produção artística”, explica Patrícia. Lembrando que o mais importante é procurar a ajuda de um médico – ele pode apontar se a falta de libido é causada por fatores como álcool, fumo, disfunções sexuais, obesidade, crises conjugais e até casos graves de depressão.

Consultoria: Patricia Cardoso - Mestre em Sexologia – RJ Docente da Pós-Graduação em Sexualidade Humana no IBMR.

Blog: http://aflordapelesexologia.blogspot.com

EXTRAIDO DO BLOG DE XICO SÁ

Deixem o Tim Maia em paz


E não é que tiraram o velho Tim do sossego! Repare aqui na notícia do UOL.

“Exumaram o corpinho do cara, aê!,” como me narra agora, naquela prosódia carioca de quem acabou de aplaudir o crepúsculo, o amigo Ernest.

Nunca gostei, mesmo em casos para reparar as maiores injustiças do mundo, dessa onda de arrancar a matéria do chão como se caça um tatu-peba.

Por isso que a cremação é mais justa, como acabaram de fazer com o corpo do Millôr.

Do pó ao pó e estamos conversados.

Como já havia esperneado aqui nesta mesma tribuna, sacanagem maior não há do que essa da Justiça decidir por exumar o corpo do velho Tim.

Sim, Tim Maia, o síndico-mor dos Tristes Trópicos, para um exame de paternidade.

Qualé, arranca o cabelo dos parentes, faz qualquer coisa, belisca primos, beija na boca da vovozinha e colhe a saliva, ousa, morde gente, mas não expõe o que restou do mais genial dos nossos pesos-pesados.

Cadê a polícia que não vê uma coisa dessas?! Desde já em plantão permanente pela intocabilidade do corpinho desse nosso irmão, clamamos, com o seu mantra sagrado: o que eu quero é sossego!

Que descanse em paz o maior cantor brasileiro.

Cliente morto não paga.

Esta lenda “sebosa-soul”, como diria Jorge du Peixe, o homem à frente da Nação Zumbi, merece a paz de um arrozal zen japonês.

JARDEL

"Desocupado", Jardel zica Messi, afirma que faria 100 gols pelo Barça e nega ter dito frases hilárias

José Ricardo Leite
Do UOL, em São Paulo
  • Jardel treina no Palmeiras, em 2004

    Jardel treina no Palmeiras, em 2004

O atacante Mário Jardel, de 38 anos, um dos maiores ídolos da história do Grêmio e também do Porto, de Portugal, parece próximo de, enfim, pendurar as chuteiras e ingressar em novos rumos no futebol.

Depois de não chegar a um acerto com o Rio Negro-AM, no ano passado, Jardel só descansa em casa e aguarda julho para começar um curso de treinador e depois tentar iniciar nessa carreira.

Agora, por enquanto, só assiste a futebol. Enquanto tenta marcar um jogo de despedida por Grêmio e Porto, vive de outras rendas, como uma loja de roupas de sua mulher, Sandra, em Fortaleza.

Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, Jardel admitiu a ansiedade para voltar a trabalhar.

“Oficialmente eu não parei, não. Vou fazer um curso de treinador em Porto Alegre e quero muito fazer jogos de despedida por Grêmio e Porto. Já procurei as duas equipes e elas demonstraram interesse. Estou aproveitando um pouco, mas preciso muito sair de casa e me ocupar”, admitiu Jardel, que adiantou que procurará o técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, para aprender.

“Vou pedir uma oportunidade para o Felipão, para fazer um estágio uns dois meses depois que fizer o curso. Quero pedir opiniões e aprender. Ele entende muito.”

Jardel foi campeão da Taça Libertadores de 1995 pelo Grêmio e tricampeão português pelo Porto. Na Europa, ganhou o prêmio Chuteira de Ouro, de maior artilheiro de Nacionais do continente, duas vezes, em 1999 e 2002.

Para faturar esse último prêmio, fez 42 gols atuando pelo Sporting, rival do Porto. Nem Messi ou Cristiano Ronaldo atingiram essa marca quando levaram o prêmio. O argentino fez 34 na temporada 2010/11, enquanto o português marcou 40 na temporada passada. Agora, ambos têm 35 gols no Espanhol e mais nove jogos para poderem igualar a marca de Jardel, marcando sete gols, ou até ultrapassá-la.

Jardel confessa que vai “zicar” os dois jogadores para que não cheguem à sua marca e diz que faria muito mais gols se atuasse em uma equipe de qualidade como o Barcelona.

FRASE HISTÓRICA QUE JARDEL NEGA

Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe

“Espero que eles não façam [os gols para passá-lo]. Com aquele time do Barcelona eu faria uns 100 gols na temporada. Estava vendo jogo do Barcelona, só não ganha porque não quer”, falou.

O artilheiro chegou a ser conhecido por algumas frases lendárias, publicadas por uma revista brasileira na década de 90. “Clássico é clássico e vice-versa”, “Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe” e “Aqui tem muito carro importado”, quando estava no Japão, são algumas delas.

Mas ele nega a autoria e diz que até processou a publicação na época. “Isso foi só para tirar onda comigo. Mas já pegou, né? Mas nunca, nunca falei isso. Sou um cara que tenho consciência”, finalizou.

CADEIA NELE...

Supremo recebe denúncia de trabalho escravo em fazenda de deputado

Maurício Savarese
Do UOL, em Brasília

Por 6 votos a 4, o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou nesta quinta-feira (29) uma denúncia contra o deputado federal João Lyra (PSD-AL) por oferecer condições de trabalho análogas à escravidão em sua fazenda. Ao todo, 53 cortadores de cana foram encontrados em condições consideradas degradantes pelo Ministério Público Estadual na cidade de União dos Palmares, a 70 km de Maceió.

O parlamentar foi acusado de fornecer alimentação e água em más condições, reter seus funcionários em um galpão sem janelas nem condições sanitárias e não oferecer transporte suficiente para que voltassem a suas residências. Os cortadores de cana afirmaram ainda que os mantimentos eram descontados de seus salários ao fim de cada mês e que eram forçados a trabalhar por dias inteiros. Lyra pode ser condenado a até oito anos de prisão.

O caso teve início em 2008, após uma ação do Ministério do Trabalho na região. O relator do caso no Supremo, ministro Marco Aurélio de Mello, rejeitou a denúncia, mas acabou vencido. Segundo ele, as condições às quais os trabalhadores eram submetidos não eram degradantes, embora pudesse haver irregularidades trabalhistas.

O ministro Luiz Fux, que votou a favor do recebimento da denúncia, se disse incomodado com a defesa do empresário, que alegou que a denúncia se referia a "apenas 53" trabalhadores em um universo de quase mil funcionários da usina. Ainda não há previsão para um julgamento final.

NECESSIDADE DE APARECER

Excesso de parentes de famosos transforma novela em piada na Globo

DE SÃO PAULO

Mal começou "Avenida Brasil" e a próxima novela das 21h da Globo já está com o elenco praticamente fechado.

"Salve Jorge", de Gloria Perez, terá como atores o neto de Silvio Santos (Tiago Abravanel), o filho de Mussum (Mussunzinho) e a filha de Gretchen (Thammy Gretchen), entre outros.

A piada nos bastidores da emissora é que a novela deveria se chamar "Laços de Família".

A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Keila Jimenez e publicada na Folha desta quinta-feira (29).

A íntegra da coluna está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.


Fotomontagem
Mussunzinho, Tiago Abravanel e Thammy Gretchen, filho de Mussum, neto de Silvio Santos e filha de Gretchen, respectivamente
Mussunzinho (esq.), Tiago Abravanel e Thammy Gretchen (dir.), parentes de famoso no elenco de "Salve Jorge"

ME AJUDA AE, POWWW!!!

No "Brasil Urgente", Datena diz que não teria dinheiro do resgate se fosse sequestrado

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Band

    Datena posa no estúdio do "Brasil Urgente", na Band (agosto/2011)

    Datena posa no estúdio do "Brasil Urgente", na Band (agosto/2011)

Durante o programa "Brasil Urgente" desta quarta-feira (28), o apresentador José Luís Datena comentou sobre a descoberta da polícia de que bandidos pretendiam sequestrá-lo nesta noite, no caminho de volta para casa.

"Eu só queria avisar esses bandidos sacanas que eu acredito muito em Deus e não tenho medo de vocês. Fui aconselhado pela polícia a ficar calado mas não consigo ficar de boca fechada", disse o apresentador.

De acordo com nota publicada pelo colunista do UOL Flávio Ricco, o crime aconteceria entre 20h30 e 21h, na rodovia Castelo Branco, entre os municípios de São Paulo e Osasco. A polícia alertou o apresentador e, através de um cruzamento de informações, chegou ao veículo que seria utilizado para o crime.

Datena disse que, se o sequestro fosse realizado, ele não daria o dinheiro de resgate. "Se me sequestrar vocês vão ter que me matar, vocês jamais terão o dinheiro de resgate. Primeiro porque eu não tenho, fiz tanta coisa errada na minha vida que não sobrou quase nada. Meus bens materias são poucos. E segundo que se eu tivesse dinheiro não daria para vocês, para comprarem armas e matarem pessoas".

O apresentador também aproveitou o programa para agradecer o trabalho da polícia, e alertou os bandidos: "Eu espero que se algum dia vocês realizarem algum ato como esse, que seja contra mim, olhando na minha cara [...], mas não toquem em um fio de cabelo da minha família que não vai ser bom para vocês".

PERDIDO

Ronaldinho e Kaká foram analisados por Mano Menezes nesta quinta-feira

Ronaldinho e Kaká foram analisados por Mano Menezes nesta quinta-feira

Mano diz contar com Kaká e se confunde ao analisar Ronaldinho

Do UOL, em São Paulo

As más atuações de Ronaldinho pelo Flamengo não tiram o sono de Mano Menezes. Em entrevista ao Arena SporTV, o treinador da Seleção Brasileira pediu que o jogador seja avaliado apenas pelo seu desempenho com a camisa verde-amarela. No entanto, em outro momento, o técnico pediu que o camisa 10 fosse na seleção, o jogador decisivo que é no clube carioca.

"Kaká pode ser importante em 2014"

  • Mano Menezes também analisou o meio-campo Kaka, fora das Olimpiadas e das ultimas convocações mesmo recuperado de lesão. “Penso que ele pode ser importante para a Copa de 2014. A próxima temporada vai dizer se Kaka pode jogar pela Seleção Brasileira uma nova copa”, disse, explicando ainda sua ausência na lista para a Olimpiada. “Ele precisa uma boa pré-temporada, que acontece bem no período da Olimpíada. Prefiro levar um grupo jovem, do que o Kaka se eu acredito que ele possa estar lá”.

“Ele oscilar no clube não deve ser o mais importante. Seu desempenho mais importante deve ser na seleção”, disse em um primeiro momento. “Ele ainda é um jogador decisivo, só precisamos que isso seja um parâmetro e que se repita na seleção. Ontem mesmo ele colocou o Vagner Love na cara do gol”, exemplificou o treinador, fazendo justamente o contrário do que ele próprio solicitou.

Mesmo assim, Mano foi claro ao dizer que não está satisfeito com o desempenho de Ronaldinho e que ainda não encontrou o camisa 10 ideal. “Claro que ainda não foi o suficiente. Gostaria muito de ter na seleção um jogador intenso que colocasse seguidamente o atacante na cara do gol”, completou.

Segundo o comandante, a dedicação do jogador durante as convocações é o que determinará o seu futuro. “Ele precisa ter aquele comportamento de campeão do mundo, nos transmitir empenho e vamos continuar analisando tudo isso que será fundamental na sua permanência”.

MANO TAMBÉM FALOU SOBRE...

ROBINHO “Não é o mesmo caso do Kaká. Quando você não ganha uma Copa, você se desgasta. Para ele, o mais adequado seria dar um descanso da seleção.”
LISTA OLÍMPICA Destes 52, faremos uma próxima lista de 35 e mais tarde 18, mais quatro – sendo um goleiro - de stand by. Se acontecer alguma lesão, sou obrigado a retirar destes quatro. Olimpiada não é um torneio Fifa, então precisamos conversar com o jogador, treinador e diretoria. Se não for liberado, já temos um novo problema.
PRINCIPAIS RIVAIS “Eu penso que as duas melhores seleções são Alemanha e Espanha. Vejo a Alemanha como a equipe que mais cresceu após o último Mundial.”
TIME BASE “Não estamos atrasados, mas não temos algumas definições. Penso que muitos jogadores que estarão em Londres, estarão na Copa. Penso que na Copa das Confederações, o brasileiro terá uma seleção definida”.
EXEMPLO MARCELO “Hoje a gente vê um jogador mais maduro, mais preparado. E isso tem a ver com as decisões que tomamos e queremos que tenha um mesmo final com outros jogadores. Muitas vezes você não fala tudo, porque não tem razão de expor um profissional”
COMPORTAMENTO "Não vejo o problema da seleção como a falta de talento, vejo mais como uma questão estrutural do futebol brasileiro. Você olha para outros grupos de jogadores e não vê grupos melhores que o nosso. É uma necessidade de mudar mentalmente o comportamento destes jogadores em relação aos outros".

RACISMO, DIGA NÃO!!!!

Vanderlei, do Caxias, foi vítima de racismo na partida contra o Novo Hamburgo, sábado

Vanderlei, do Caxias, foi vítima de racismo na partida contra o Novo Hamburgo, sábado

Árbitro denuncia caso de racismo contra atacante do Caxias no Gauchão

Marinho Saldanha
Do UOL, em Porto Alegre

O árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima denunciou em súmula ato de racismo da torcida do Novo Hamburgo contra Vanderlei, atacante do Caxias, no jogo entre ambos, pela quarta rodada do segundo turno do Campeonato Gaúcho no último sábado. Segundo o documento, a torcida local chamou de 'macaco' o atleta insistentemente e precisou ser contida pela Polícia Militar.

  • Reprodução

    Um cão policial mordeu Vanderlei, que no mesmo jogo foi vítima de racismo, chamado de 'macaco'

"A conduta do público mandante foi ruim, em função de que sempre que o atleta camisa nº 9 do SER Caxias, Sr. Vanderlei Francisco, tomava posse da bola, um grupo de torcedores do EC Novo Hamburgo passava a chamá-lo de 'macaco' ostensiva e insistentemente. Foi solicitado que a Brigada Militar tomasse as devidas providências para coibir o ato", diz a súmula publicada no site oficial da Federação Gaúcha de Futebol.

Não foi somente este incidente que ocorreu no duelo vencido pelo Novo Hamburgo por 1 a 0. Durante uma confusão, o mesmo Vanderlei foi mordido por um cão dos policiais que faziam a segurança do jogo. Atendido, ele permaneceu em campo.

Não bastasse isso, no mesmo problema, ocorrido no gol do Novo Hamburgo, o zagueiro Lacerda, do Caxias, foi acusado de agredir um policial. Pela agressão foi realizado um Boletim de Ocorrência.

"Primeiramente nos estranhou muito, pois não vimos nada no estádio. Não temos manifestação do atleta. Nos deixou surpresos. Até porque tivemos aproximadamente 350 pessoas no estádio neste jogo. Da forma que foi relatada não procede. Não sei de onde foi tirado isso. O atleta seria a primeira pessoa a se manifestar, e não fez nada. Sinceramente nos deixou surpresos e chateados porque não é algo de praxe da nossa torcida ou clube. Vamos averiguar, e se for necessário tomaremos alguma providência. Mas temos provas de que não ocorreu nada", disse Maurício Andrade, diretor executivo do Novo Hamburgo ao UOL Esporte.

A própria direção do Caxias não se manifestou sobre o tema pois relatou não ter percebido tal situação durante a partida. Vanderlei, da mesma forma, não concedeu entrevistas sobre isso.

Caxias e Novo Hamburgo fazem um bom Campeonato Gaúcho. Ambos decidiram o primeiro turno e apresentaram queda na segunda metade do torneio. Na decisão, o Caxias venceu nos pênaltis após empate em 1 a 1 no Estádio do Vale.

SE FUFU...

Estudante acusada de tramar morte do pai por seguro era garota de programa no Rio

Rayder Bragon
Do UOL, em Belo Horizonte

Acusada de tramar a morte do pai por seguro de R$ 1,2 milhão, em Minas Gerais, a estudante Érika Passarelli Vicentini Teixeira, 30, estava atuando como garota de programa em um bordel localizado na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Segundo o delegado Bruno Wink, responsável pela prisão da mulher, há pelo menos dois meses ela estava no local, onde faturava R$ 2.500 por semana. “Ela disse que trabalhou somente neste local, mas tivemos informação de que ela teria trabalhado anteriormente em mais outros dois bordéis do Rio”, explicou.

De acordo com o policial, ela demonstrou muita surpresa no momento da prisão, feita na madrugada desta quinta-feira (29), por policiais civis mineiros. Vicentini foi transferida para Belo Horizonte e apresentada na manhã de hoje no Departamento de Investigações de Minas Gerais. A mulher, que cultivava os cabelos loiros, surgiu com nova aparência. Os cabelos estavam compridos e pintados de preto.

Descrita por delegado como uma pessoa “fria” e “perigosa”, Wink disse que Passarelli utilizou-se de documentos falsos nos quais constava o nome de “Karina’. A mulher, no entanto, usava o nome de “Pati”, quando atuava no bordel. Ainda conforme o policial, ela negou as acusações e atribuiu a morte do pai a cabo da Polícia Militar mineira, pai de um ex-namorado, que segundo a polícia, ajudaram-na na morte de Mário José Teixeira Filho, 50.

O crime ocorreu em agosto de 2010, na BR-365, próximo à cidade de Itabirito (55 km de Belo Horizonte). O cabo e filho, presos em Belo Horizonte, foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público, no ano passado. De acordo com as investigações, a estudante era a única beneficiária de três apólices em nome do pai. Somadas, elas chegavam ao valor de R$ 1,2 milhão.

Ainda conforme a polícia, inicialmente, o pai da mulher estaria de acordo com esquema para tentar fraudar as seguradoras, simulando a própria morte. Segundo a polícia, No entanto, conforme as investigações, desentendimento entre os dois levou-a a planejar matar o pai, com a ajuda da dupla.

Fuga

O delegado Bruno Wink disse que Passarelli, durante o período em que foi considerada foragida da Justiça – desde fevereiro do ano passado – ficou escondida inicialmente em um hotel de Belo Horizonte. Em seguida, a mulher teria fugido para o Rio.

“Ela disse que depois da estada nesse hotel foi direto para o Rio de Janeiro,” afirmou o delegado. No entanto, o policial disse ter tido informações de que ela percorreu alguns Estados brasileiro na sua fuga. As investigações sobre o paradeiro dela se intensificaram no Rio desde então.

“Nós já tínhamos ido ao Rio de Janeiro por duas vezes. Mas ontem tivemos uma informação bem mais concreta. Estivemos no local e, depois de um tempo, a visualizamos dentro do bordel. Ela morava nesse local”, revelou.

Wink disse que Passarelli será levada para o Ceresp (Centro de Remanejamento do Sistema Prisional) centro-sul. Contra ela havia mandado de prisão preventiva expedida pela Justiça de Itabirito (MG). Ainda está sendo decidido se ela será encaminhada para a cidade mineira.

Histórico de delitos

Na esteira do caso surgiu a denúncia de que a estudante também faria parte esquema de tráfico internacional de crianças. A informação, repassada por testemunha à polícia, está sendo investigada pelo delegado Wagner Pinto, chefe da Divisão de Crimes contra a Vida, responsável pelo caso. A mulher também é acusada pela polícia de aplicar golpes em estabelecimentos comerciais de Belo Horizonte.

Ainda pesa contra ela acusação de que teria aplicado golpe em um taxista da cidade de Ouro Fino, no sul de Minas Gerais. Segundo a polícia, Érika Teixeira é suspeita de ter recebido R$ 165 mil por venda de uma casa na cidade, mas que na realidade pertencia à avó. Segundo as investigações, a estudante não tinha procuração para intermediar a venda nem a escritura foi repassada ao comprador.

Em outra frente, a mãe da estudante é investigada por suspeita de participação na morte de uma mulher que foi companheira do pai de Érika. O crime ocorreu em agosto de 2003, na cidade de Ibirité, localizada na região metropolitana de Belo Horizonte. Júnia Rodrigues da Cruz foi encontrada morta com perfurações de bala, no bairro Guanabara, situado no município.

Em seguida à morte, conforme as investigações, Mara Lúcia Passarelli Vicentini, ex-mulher de Mário Filho, foi munida de uma procuração a uma agência bancária e resgatou joias que haviam sido penhoradas pela vítima. À época, o penhor havia sido calculado em R$ 25 mil. De acordo com a mulher, ela teria sido obrigada pelo ex-marido a retirar as joias.

DOR DE BARRIGA

Preços dos ovos de Páscoa variam até 88% em SP, diz Procon; veja lista

Do UOL, em São Paulo

Os preços dos ovos de Páscoa podem variar até 87,95%, segundo levantamento da Fundação Procon de São Paulo feita em dez lojas da capital.

Segundo a pesquisa, realizada entre os dias 12 e 14 de março, um ovo de chocolate com doce de leite crocante que custa R$ 6,89 em um estabelecimento foi encontrado por R$ 12,95 em outro (ou R$ 6,06 a mais).

Veja a lista completa com os preços dos ovos de Páscoa nos supermercados visitados pelo Procon.

Pesquisa foi feita com 147 produtos

O órgão pesquisou o preço de 147 itens, entre ovos e bolos de Páscoa, além de caixas de bombom. Foram visitadas duas lojas em cada região da cidade.

O Procon destacou os supermercados que tiveram a maior quantidade de produtos mais baratos por região da cidade.

Entre as lojas visitadas, uma unidade do Extra do centro de São Paulo foi a que apresentou a maior quantidade de produtos com preços menores ou iguais à média obtida (124 itens de 127 encontrados, ou 98%). Veja os estabelecimentos que tiveram mais itens baratos por região, de acordo com o Procon:

  • Centro: Extra hipermercado - 124 itens de 127 encontrados (98%)
  • Leste: Kanguru – 121 itens de 130 encontrados (93%)
  • Norte: Andorinha – 109 itens de 120 encontrados (91%)
  • Sul: Chocolândia – 90 itens de 101 encontrados (89%)
  • Oeste: Walmart – 44 itens de 109 encontrados (40%)

Veja as principais apostas das empresas para a Páscoa

Foto 1 de 25 - A indústria de chocolates lançou mais de 90 produtos, entre ovos, caixas de bombons e colombas, para esta Páscoa. Confira a seguir algumas das maiores apostas das empresas, a preços que vão de R$ 2,90 a R$ 129,90 Mais Arte/UOL

Ovos ficaram, em média, 8,47% mais caros

Segundo o Procon, entre 2011 e 2012, os ovos de Páscoa tiveram reajuste médio de 8,47%; os bolos ficaram 2,91% mais caros e as caixas de bombons, 11,59%.

Para efeito de comparação, entre março de 2011 e fevereiro de 2012, a inflação medida pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da Fipe teve variação de 4,59%.

ABAIXO A DITADURA²

Brasil é denunciado na OEA por caso Vladimir Herzog

LUCAS FERRAZ
DE BRASÍLIA

O Brasil foi denunciado na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos) por não apurar as circunstâncias da morte do jornalista Vladimir Herzog, assassinado nas dependências do Exército, em São Paulo, em 1975.

Segundo a denúncia, o "Estado brasileiro não cumpriu seu dever de investigar, processar" e punir os responsáveis pela morte de Herzog.

Jornal do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo
Foto do jornalista Vladimir Herzog morto em uma cela, em 25 de outubro de 1975
Foto de Herzog morto em uma cela, em 25 de outubro de 1975

O Itamaraty confirmou ter recebido a comunicação da OEA no dia 27 de março e está preparando uma resposta.

O caso foi levado ao organismo internacional, que já condenou o Brasil por omissões nos crimes da ditadura militar (1964-85), por entidades de direitos humanos, como Cejil (Centro pela Justiça e o Direito Internacional), FIDDH (Fundação Interamericana de Defesa dos Direitos Humanos), Grupo Tortura Nunca Mais e Instituto Vladimir Herzog.

O caso Herzog voltou a ser discutido no início de fevereiro, após a Folha revelar em reportagem a identidade de Silvaldo Leung, fotógrafo que foi usado pela ditadura para registrar a morte do jornalista.

Segundo depoimento de Leung, a cena do suicídio foi forjada. O fotógrafo, então aluno da Academia da Polícia Civil de São Paulo, disse que não teve liberdade para fotografar o cadáver do jornalista, como normalmente fazem os peritos fotográficos, e alega que foi perseguido.

Após a revelação da Folha, autoridades do governo envolvidos com o tema, como é o caso do ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), defenderam que o assunto fosse novamente investigado.

Apresentado como suicida pelo Exército, a versão começou a ser contestada logo no dia da morte de Vlado, como o então diretor de jornalismo da TV Cultura era chamado.

Segundo testemunhas, após comparecer espontaneamente no DOI-Codi de São Paulo para prestar depoimento, Herzog morreu após ser barbaramente torturado. Depois, os agentes da repressão armaram a cena para tentar simular o suicídio.

Um inquérito militar instaurado ainda em 1975 confirmou que o jornalista se matou. Mas em 1978 a Justiça condenou a União pelo assassinato de Vladimir Herzog.

Nos últimos 20 anos, contudo, duas ações foram propostas para apurar as circunstâncias do assassinato, mas em ambos os casos a Justiça arquivou as investigações com base na Lei da Anistia e no argumento de que o crime prescreveu.

O argumento das organizações de direitos humanos para o caso ser investigado, baseado na própria jurisprudência da Corte Interamericana de Direitos Humanos, diz que "são inadmissíveis as disposições de anistia, as disposição de prescrição e o estabelecimento de excludentes de responsabilidade, que pretendam impedir a investigação e punição" de quem cometeu graves violações aos direitos humanos, como torturas e assassinatos.

Após análise da comissão e da manifestação do Estado brasileiro, o caso provavelmente será levado à Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA, instância superior que poderá condenar o Brasil --como o fez em dezembro de 2010 por causa dos mortos e desaparecidos na guerrilha do Araguaia.

POLÊMICO

Ministro da Justiça diz que é contra decisão do STJ sobre estupr

Luciana Lima
Da Agência Brasil, em Brasília

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, manifestou-se hoje (29) contra decisão tomada ontem pela Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), segundo a qual nem sempre o ato sexual com menores de 14 anos pode ser considerado estupro.

Segundo Cardozo, as decisões do tribunal têm de ser respeitadas, mesmo que se discorde delas. "Eu, como estudioso do direito, tenho uma posição contrária, mas o STJ deu essa decisão. Não sei se ela será mantida, se será definitiva. Aguardemos o resultado final", disse o ministro, após participar, no tribunal, da abertura do Prêmio Innovare, destinado aos autores de iniciativas de inovação no campo jurídico.

Ao julgar processo em que o réu foi acusado de ter estuprado três menores, todos de 12 anos. a questão, os ministros levaram em consideração que as crianças já se prostituíam, antes de se relacionar com ele. Os ministros da Terceira Seção do STJ concluíram que a presunção de violência no crime de estupro pode ser afastada diante de algumas circunstâncias.

O tribunal entendeu que não se pode considerar crime o ato que não viola o bem jurídico tutelado, no caso, a liberdade sexual.

Tanto o juiz que analisou o processo quanto o tribunal local inocentaram o réu com o argumento de que as crianças “já se dedicavam à prática de atividades sexuais desde longa data”.

EXTRAIDO DO BLOG DO SAKAMOTO:

Por aqui, a pedofilia encontra terreno fértil para crescer

Que a pedofilia encontra no Brasil um terreno fértil com muitos seguidores, isso é sabido. Imaginem o que seria desta nossa sociedade patriarcal e machista sem as revistas masculinas que transformam moças de 18 anos em meninas de 12?

Afinal de contas, se tem peito e bunda, se tem corpo de mulher, está pronta para o sexo, não é mesmo? E se está pronta para o sexo, por que não ganhar uns trocados para ajudar no orçamento familiar?

Ao julgar o caso de um homem acusado de estuprar três meninas de 12 anos, a Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça considerou que ele não cometeu crime porque as meninas já eram prostitutas. “As vítimas (…) já estavam longe de serem inocentes, ingênuas, inconscientes e desinformadas a respeito do sexo. Embora imoral e reprovável a conduta praticada pelo réu, não restaram configurados os tipos penais pelos quais foi denunciado”, afirmava o acórdão.

O STJ levou em conta para a sua decisão o artigo 224 do Código Penal que, na época do ocorrido, considerava que o crime deveria ser cometido mediante violência – presumível, a bem da verdade, quando se tratava de pessoas com menos de 14 anos. O artigo foi alterado há três anos, deixando mais claro que violência não se faz mais necessária para configurar o crime.

Ari Pargendler, presidente do STJ, afirmou à Agência Brasil, nesta quinta (29), que o tribunal poderá revisar a decisão tomada pela Terceira Seção da Corte. O pedido para tanto poderá partir do Poder Executivo, como informou a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário.

Essa discussão não é sobre o direito da mulher ao seu corpo (que deveria ser inquestionável e protegido contra qualquer tipo de idiotice), mas de defender que crianças e adolescentes não sejam abocanhados pelo mercado do sexo. Não estou discutindo o sexo dos adolescentes, mas sim o seu uso comercial. Muito menos a legalidade da prostituição (e enquanto se discutia isso, mulheres que trabalhavam pesado a vida inteira sofreram na velhice, desamparadas e desassistidas). Estamos falando de meninas de 12 anos que podem até não ter sido empurradas para essa condição por pressão familiar, mas sofreram influência externa sobre sua sexualidade – da TV, dos amigos, de vizinhos, de ofertas irrecusáveis de bens materiais ou dinheiro, que atiçaram desejos ou fantasias sobre si mesmas e o mundo.

Por isso, a decisão de entrar no mercado de sexo antes de determinada idade não é individual e não pode ser. O Estado e a sociedade vão tutelar essa criança até que ela tenha maturidade para tanto. E quando isso ocorre? A idade de 14 anos para estupro presumível em caso de relações sexuais é um referencial. Bem como o trabalho a partir dos 14 (no caso de aprendiz) também o é. Mas é um referencial imporante. É uma marca que garante um certo número de anos para os mais jovens se desenvolverem, sendo protegidos, antes de cair na selva. Nos separa, portanto, da barbárie de ter que lutar pela sobrevivência desde cedo.

É claro que o tipo de pessoa que enxerga apenas a parte externa ignora um processo de formação interna da jovem ou do jovem, que é irremediavelmente prejudicado quando ele é despido de sua dignidade.

Nunca vou esquecer a patética intervenção do nobre vereador paulistano Agnaldo Timóteo a favor da exploração sexual juvenil há cinco anos. Em um discurso na Câmara, ele disse que o visitante que vem ao país atrás de sexo não pode ser considerado criminoso. “Ninguém nega a beleza da mulher brasileira. Hoje as meninas de 16 anos botam silicone, ficam popozudas, põem uma saia curta e provocam. Aí vem o cara, se encanta, vai ao motel, transa e vai preso? Ninguém foi lá à força. A moça tem consciência do que faz”, declarou. “O cara (turista) não sabe por que ela está lá. Ele não é criminoso, tem bom gosto.” Para Timóteo, há “demagogia e frescura”.

E isso porque o Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe a exploração sexual comercial de adolescentes até 18 anos.

Seguindo a linha de raciocínio, poderíamos legalizar uma série de situações em que há um descompasso entre a lei e a realidade. Deixaríamos de ter, em um passe de mágica, a prostituição infanto-juvenil, o trabalho escravo, o tráfico de seres humanos, fora preconceitos de raça, credo e classe. É só jogar por terra conquistas sociais obtidas na base do sangue e suor de gerações.

Em bom português, o que se propõe é o seguinte: já que o Estado e a sociedade são incompetentes para garantir que seus filhos e filhas dediquem sua infância aos estudos e ao desenvolvimento pessoal, vamos aceitar isso e legalizar o trabalho de crianças de 12 anos, incluindo aí a prostituição infantil. Por que o trabalho forma o cidadão. ”O trabalho liberta”, como diria a frase na porta do campo de concentração de Auschwitz.

Em 2009, o STJ também havia afirmado que não há exploração sexual contra uma criança ou adolescente quando o cliente é ocasional. A corte manteve decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul que rejeitou acusação de exploração sexual de menores por entender que cliente ou usuário de serviço oferecido por prostituta não se enquadra em crimes contra o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Dois réus contrataram serviços sexuais de três garotas de programa que estavam em um ponto de ônibus, mediante o pagamento de R$ 80 para duas adolescentes e R$ 60 para uma outra. O programa foi realizado em um motel. O TJMS absolveu os réus do crime de exploração sexual de menores por considerar que as adolescentes já eram prostitutas. E ressaltou que haveria responsabilidade grave caso fossem eles quem tivesse iniciado as atividades de prostituição das vítimas.

Alguns vão dizer que é uma questão técnica, de interpretação – como se o conhecimento da realidade e a subjetividade não influenciassem nessas decisões. Enfim, pimenta nos olhos das filhas dos outros é refresco.

Passando o município maranhense de Estreito, cruzando-se a ponte sobre o rio Tocantins e entrando no estado homônimo, há um posto de combustível. Entre bombas de combustível e caminhões estacionados, meninas baixinhas oferecem programas. Entram na boléia por menos de R$ 30, deixando a inocência do lado de fora.

Prostituição infantil não é novidade. E nem é vinculada apenas a uma classe social: há denúncias e mais denúncias de políticos e empresários que alugam barcos e hotéis para consumir as crianças que compraram. Ou festas regadas a uísque nas grandes cidades. Mas é ruim quando a gente se depara com isso. Ver meninas que deveriam estar estudando para uma prova de sexta série vender seus corpos e encararem isso como parte da vida dá um misto de raiva e sensação de impotência.

Anos atrás, não muito longe dali, no Pará, me apontaram bordéis onde se podia encontrar por um preço barato “putas com idade de vaca velha”. Ou seja, 12 anos.

“Ah, mas tem menina que gosta.”

E, por trás desta justificativa, muito homem que gosta ainda mais.

SOSSEGO

Corpo de Tim Maia é exumado para teste de paternidade

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    O cantor e compositor Tim Maia durante show em 1972

    O cantor e compositor Tim Maia durante show em 1972

Parte do corpo do soulman brasileiro Tim Maia, seu fêmur foi exumado na manhã desta quinta-feira (29), no Rio de Janeiro. A exumação faz parte de um processo para reconhecimento de paternidade solicitado pela 2ª Vara de Família da Barra da Tijuca. O pedido é de Rafaela Mendonça Soares Campos, que desde os 13 anos tenta ser reconhecida como filha do cantor.

De acordo com o advogado de Rafaela, Valfredo Silva dos Santos, o corpo foi exumado para que seja realizada uma coleta, prevista esta quinta. Um laudo, feito a partir do resultado dessas amostras, sairá em 30 dias. Com o relatório em mãos, um juiz irá definir em audiência se a paternidade será reconhecida ou protestada pela família de Tim. "É uma questão de cidadania ter o nome do pai no registro", explicou Valfredo ao UOL.

EXTRAIDO DO BLOG DO JUCA KFOURI

Só o Flamengo decepciona na Libertadores


Terminada a quarta rodada da fase de grupos da Libertadores, o balanço é mais que positivo para o futebol brasileiro.

Dos seis participantes, quatro lideram suas chaves: o Fluminense 100%; o Corinthians invicto, o Santos e o Vasco.

Decepção mesmo só o Flamengo, em terceiro lugar e fora da zona de classificação para as oitavas de final, porque o Inter, que não lidera, é o segundo no grupo do Santos, com quem, aliás, jogará no Beira-Rio.

Ontem o Fluminense, com uma baita preguiça, obteve sua quarta vitória ao ganhar de 1 a 0, gol de Rafael Sóbis batendo falta, do Zamora, na Venezuela.

Com o que garantiu sua passagem para a próxima fase com duas rodadas de antecedência.

A fase tricolor é tão boa que, se não bastasse estar por cima com a melhor campanha entre os 32 times, ainda vê o rival rubro-negro à beira do precipício.

Comentário para o Jornal da Globo desta sexta-feira, 30 de março de 2012.

ABAIXO A DITADURA

A socióloga Mira Caetano foi atingida por uma bomba de gás lacrimogênio durante uma manifestação de estudantes e ativistas na tarde desta quinta-feira (29) na Cinelândia, no centro do Rio. O grupo, composto por cerca de 300 pessoas, protesta em frente à sede do Clube Militar contra um evento que lembra o aniversário do golpe de 1964 -- ocorrido em 31 de março daquele ano Fernando Maia/UOL

Militar da Reserva entra no Clube Militar pisando em tinta vermelha jogada pelos manifestantes na tarde desta quinta-feira (29) na Cinelândia, no centro do Rio. O grupo de estudantes e ativistas, composto por cerca de 300 pessoas, protesta em frente à sede do Clube Militar contra um evento que lembra o aniversário do golpe de 1964 -- ocorrido em 31 de março daquele ano Fernando Maia/UOL

Uma manifestação de estudantes e ativistas terminou em confusão na tarde desta quinta-feira (29) na Cinelândia, no centro do Rio. O grupo, composto por cerca de 300 pessoas, protesta em frente à sede do Clube Militar contra um evento que está lembra o aniversário do golpe de 1964 -- ocorrido em 31 de março daquele ano Fernando Maia/UOL

BLASFÊMIA...

Ronaldo brinca com apelido de Tim Maia e elege Damião como dono da camisa 9 do Brasil

Do UOL, em São Paulo
  • De barba, Ronaldo foi chamado de Tim Maia pelos internautas durante a Twitcam

    De barba, Ronaldo foi chamado de Tim Maia pelos internautas durante a Twitcam

O ex-atacante Ronaldo realizou uma "Twitcam" na noite desta quinta-feira, conversou por cerca de 20 minutos com internautas e alternou assuntos sérios e outros de brincadeiras com as pessoas que acompanhavam o vídeo.

Ele brincou com seu sócio na 9ine Marcos Buaiz e revelou que nós próximos dias a empresa irá anunciar três novidades, mas fez mistério sobre o assunto. "Hoje (quinta-feira), foi um dia muito bom gente. Temos três grandes novidades pra agência, vamos anunciar nos próximos dias", contou o agora empresário, antes de apresentar o simples escritório na qual trabalha.

Em um dos momentos de brincadeira, Ronaldo recebeu um apelido dos internautas. "C... minha barba está grande para caramba, amanhã vou tirar. O pessoal é sacana mesmo, estão me chamando de Tim Maia", disse.

Com dificuldades para responder todas as perguntas, Ronaldo ainda recebeu algumas questões curiosas. "O Vitor Santos está querendo saber quanto tem na minha conta. O outro quer que eu tire um extrato e mostre. Será que é o Ronald [seu filho] perguntando. Moleque sacana".

Sobre a seleção, o ex-atacante da equipe verde e amarela disse que o grande nome para a posição é o atacante do Internacional Leandro Damião, seu cliente na 9ine.

Impressionado com a quantidade de viewers - o jogador teve dificuldade para pronunciar a palavra que significa espectadores -, Ronaldo respondeu diversas perguntas. Além da questão sobre o ataque da seleção, o fenômeno precisou responder qual era o seu time do coração. Corinthians ou Flamengo. "Em São Paulo, sou Corinthians e no Rio, sou Flamengo", disse em tom político.

Em outra pergunta, porém, Ronaldo deixou clara sua preferência pelo clube paulista. "Torço para que este ano o Corinthians consiga vencer a Libertadores para acabar com essa brincadeira de que nunca ganhou", falou em resposta ao qual time venceria o torneio sul-americano.

VERDADE ABSOLUTA

DICAS...

Veja dicas de etiqueta para o uso de celular e tablet no trabalho

EILENE ZIMMERMAN
DO "NEW YORK TIMES"

The New York Times P. Sua companhia permite que os funcionários tragam para o escritório seus próprios equipamentos portáteis, como telefones e tablets. Isso quer dizer que você deve se sentir à vontade para usá-los quando considerar adequado?

R. Embora esses equipamentos ajudem a mantê-lo acessível aos colegas e clientes, devem ser usados com discrição e de maneiras que o ajudem em seu trabalho, diz Anna Post, especialista em etiqueta no Instituto Emily Post em Burlington, Vermont. "A ideia que você passa quando está digitando em um dispositivo é que sua atenção está dividida", diz Post.

P. Durante reuniões, você gosta de tomar notas no seu tablet, smartphone ou laptop. Isso é aceitável?

R. Os smartphones e tablets são uma nova presença nas salas de reunião e, diferente dos laptops, eles geralmente são associados a jogos, mensagens e outras atividades não profissionais. Isso pode dar a impressão de que você não está prestando atenção, diz Matt Eventoff, dono da Princeton Public Speaking, uma empresa de treinamento em comunicações em Princeton, Nova Jersey. "Assim que você pegar o dispositivo, diga aos presentes: 'Eu uso meu iPad ou telefone para tomar notas'".


Paul Hoppe

P. Existe algum problema em ler discretamente e-mails ou mensagens de texto pessoais em leitores de equipamentos portáteis enquanto estou no escritório ou entre colegas?

R. Mesmo que você seja discreto, poderá perder importantes sinais que só podem ser captados face a face, diz Rachel Weingarten, presidente da Interrobang, uma firma de estratégia de marketing em Nova York.

P. E que tal atender seu celular no local de trabalho?

R. Se você estiver em reunião, atenda somente telefonemas urgentes. Diga aos outros que está esperando uma ligação, coloque seu telefone no vibrador e saia da sala para atendê-lo, disse Eventoff. Não use Bluetooth ou outro fone de ouvido sem fio, diz Mark A. Gilmore, presidente da Wired Integrations, uma consultoria em San Jose, Califórnia.

P. Se você estiver dirigindo uma reunião ou apresentação, como se certificar de que os participantes prestem atenção nos oradores e não em seus telefones?

R. Defina as regras básicas, diz Post. "As boas maneiras realmente estão ligadas às expectativas sociais", diz ela. "E quando você deixa claras essas expectativas é mais fácil levantar uma sobrancelha se alguém pegar um telefone."

P. Embora os equipamentos móveis sejam seus, a rede Wi-Fi que você está usando pertence à companhia, assim como algumas informações que você vê e armazena. Que precauções você deve tomar para proteger sua empresa e a si mesmo caso perca seu telefone ou tablet?

R. Descubra se sua empresa tem uma política de uso para equipamentos móveis. Se não tiver, coloque suas proteções, diz Kieran Norton, gerente de segurança da Deloitte. "Se possível, permita o apagamento automático, assim você poderá eliminar remotamente as informações do dispositivo, se o perder ou ele for roubado.