SEJAM BEM VINDOS AO MEU BLOG, O OBJETIVO É FALAR DAS EXPERIÊNCIAS QUE TENHO AO LONGO DOS MEUS DIAS, AQUI SABERÃO UM POUCO DE MIM, DO QUE PENSO E DO QUE ACHO QUE SEI, BOA LEITURA E DIVERSÃO.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

UTILIDADE PÚBLICA:


ATENÇÃO A TDS DO FACE E AMIGOS!! FAVOR COMPARTILHAR POIS ACABARAM DE ROUBAR MEU CARRO!!! PLACA KQI 8616 MOD/98!! COM SULFACIL DE LANTERNAGEM NO CAPÔ!!! ENTREM EM CONATATO PELO E-MAIL deejaypaulovitor@gmail.com!! ROUBARAM TBM MEUS DOIS CELULARES!!! POR ISSO ESTOU SEM CONTATO!!!! DESDE JA AGRADEÇO A TDS!!

FUTILIDADE


CONVITE:


LEVANDO NA ESPORTIVA²:


QUESTIONAMENTOS:


EXTRAIDO DO KIBELOCO:

CÍCERO GUEDES - JUSTIÇA!!!!!

Polícia Civil prende suspeito de ser o mandante do assassinato no MST

Motivo do crime seria a liderança do acampamento
Mauro de Souza

Motivo do crime seria a liderança do acampamento

A Polícia Civil prendeu na tarde desta quinta-feira (31/01) o suspeito de ser o mandante do assassinato do coordenador do Movimento Sem Terra (MST), Cícero Guedes.
Segundo o delegado titular da 134ª Delegacia Legal do Centro, Geraldo Assed, o suspeito também faz parte do MST e morava no mesmo assentamento que a vítima, na localidade de Martins Lage.
A polícia cumpriu o mandado de prisão durante a tarde, J.R.G.A, de 44 anos, foi preso no próprio acampamento Luiz Maranhão, que fica na sede da Usina Cambaíba.
“O motivo do crime seria o poder, as investigações apontam que o detido gostaria de ocupar o lugar que era da vítima e liderar o assentamento”, disse.
Durante as investigações, a Polícia Civil ouviu outros militantes do MST, e pediu a quebra de sigilo telefônico da vítima. Durante os depoimentos as pessoas que foram ouvidas disseram que Cícero era muito querido e lutava pela causa.
“O detido nega que ele tenha envolvimento com o caso, e que ele se dava muito bem com a vítima. Mas alguns depoimentos desmentiram essa história. Também  existe a suspeita de que o detido J.R. tenha envolvimento com alguns traficantes da Tira Gosto”, comentou.
O suspeito foi encaminhado para a 134º. Nesta sexta-feira (1ª/02) a Polícia Civil vai fazer uma coletiva para apresentar o preso.
CRIME
O corpo do coordenador do MST, Cícero Guedes, de 49 anos, foi encontrado na manhã do último sábado (26/01) em uma estrada vicinal, próxima ao assentamento Luiz Maranhão.
A vítima foi alvejada com pelo menos quatro tiros na cabeça e seis no tórax.
Segundo a família Cícero foi até o acampamento do MST depois de receber um telefonema.
O caso ganhou repercussão nacional e internacional. Representantes do Ministério Agrário e políticos compareceram ao enterro da vítima, que foi marcado por muita emoção da família e amigos de luta.

Ururau

Siga: twitter.com/siteururau

COMPARTILHE

EXTRAIDO DO RAPNACIONAL.COM.BR (MV BILL - VIVO)

Mv Bill mais vivo do que nunca

Postado por Mandrake em 31 de janeiro de 2013 ás 22:55
Mv Bill esta mais “VIVO” do que nunca.
O mensageiro da verdade acaba de lançar mais um videoclipe com direção de Toddy Ivon, já a música tem a produção DJ Caique 3Fs e mixagem e masterização de Luiz Café.
Gravado no centro do Rio de Janeiro, Bill vem com uma levada que dispensa comentários e une-se com a letra narrando sua vida pública, apoios e criticas.
Então, se você está vivo, demorou de dar o play e compartilhar:

Música: Vivo
Roteiro: MV BILL e Toddy Ivon
Direção: Toddy Ivon
Assistente de direção: Nino Brown
Produção musical: DJ Caique 3Fs
Mixagem e masterização musical: Luis Café
Insert de reggae: Produção musical MV Bill e execução de baixo, bateria e guitarra de Pedro Petracco
LETRA – VIVO
Agindo como um psicoativo
Respiro desse ar que me mantém vivo
Conteúdo armazenado pronto para ser usado maduro e atemporal como de um livro
Me avisaram que era um teste
Mas se desse certo espalharia como peste, cria do sudeste
Aqueles que acompanham minha caminhada pelo rap me chamam de mestre, Monstro
E é desse jeito que vivo
ter escolha própria num momento decisivo
Sabedoria que cura,
saber buscar o ouro sem o berro na cintura
Sei a vida é dura, é sinistra pra geral .
São poucos fazendo o bem e vários pra fazer mal
Alguns estão sem rumo outros estão sem rima
Eu na finalidade de fortalecer a minha firma
É isso que me mantém vivo
Figura de destaque nacional num ambiente competitivo
Eu vim do gueto e sei “comé”
Quem vem de baixo também sobe, se transforma no que bem quiser, na fé
Vivendo no melhor lugar CDD
O que purifica é banho de mar , só lazer
As minas sempre vem falar : Qual vai ser ?
Bota o bagulho pra embrasar e vamo viver
Refrão:
Enquanto ha vida tem vivo na direção que proponho
Estrada reconhecida na dimensão de um sonho
Se o sangue ta na veia , ta vivo
O coração ainda bate,ta vivo
A pista me dá condição ,to vivo Vivo
Eu vim do nada , mas hoje tenho tudo que preciso
Eu sei mudar da cara feia pro sorriso
Subverter a ordem é estabelecer uma relação de amor e ódio
Vivendo a vida única
Pagando o preço de ser uma pessoa pública
É só pra quem é
Se for fraco não fica de pé
Eu vivo no limite só que não sou limitado
Transito em várias áreas sem esquecer do meu passado
Com a fúria que me critica
Se não gosta faz melhor pra eu aprender fica a dica
Determinação para mim significa emergir do zero e se tornar um pica
Na vivência, um pouco mais de experiência
Trouxe polêmica pra cena que andava anêmica
Fui modificado mas também mudei ,avancei,iniciei,dancei, atuei gerou discórdia eu sei
Mas sou honesto comigo falei
Vivendo do melhor na simplicidade
Cara de mal para impressionar , já passei da idade
Muito pela saco batendo no peito
E rejeitando convite que na verdade nunca foi feito
O bagulho é tipo assim
Enquanto vocês falam das emissoras , elas falam de mim
Adepto do rap honesto sem ligar pro resto
Eu me testo eu me manifesto
E me mantenho vivo
Vário seguidores dando a mão demonstrando emoção sinceramente isso pra mim é incentivo .
Refrão:
Enquanto ha vida tem vivo na direção que proponho
Estrada reconhecida na dimensão de um sonho
Se o sangue ta na veia , ta vivo
O coração ainda bate,ta vivo
A pista me dá condição, tô vivo Vivo

EXTRAIDO DO BLOG DO IMS (XICO SÁ)

O amor acaba, mesmo quando nem começa – por Xico Sá

IMS | 31.01.2013, 18:02

Meu bom camarada Joaquim,
Talvez não exista mesmo amor em SP, como diz o Criolo, talvez exista mas esteja faltando, pelo menos para mim, amigo, que pisei na bola qual um beque de roça, que não ouvi direito a batida daquela porta, que me fiz de galo e cantei de véspera, que  me iludi feito um patinho de João Gilberto, que mantive aceso – no claro e no escuro – o Fiat Lux do engano, que te rabisco agora estas linhas tortas, talvez um plágio dos mais epistolares boleros, vida noves fora zero.
Meu bom Joaquim, a gostosa já era, liquefeita escorre com o veraneio das chuvas pelos bueiros das promessas, o tal amor líquido que não dá samba e ainda vira filosofia de caixinha de fósforo, o tal do amor, solavanco na sintaxe, ponto. Bem fazes tu em guardar os segredos de um amor discreto, sem batuque na praça,  me ensinas o truque, o dim-dom dos amores possíveis, ensina-me a viver, como num filme triste.
Com licença da palavra, que não cabe na epístola de uma madre superiora, mas, te digo, amigo, foi foda. A nega me jogou do despenhadeiro, de uma torre da Paulista, essa coisa de não haver rede de proteção ou guarda-chuva para o amor, sacas? Eu sei que manjas do risca-faca amoroso. Desse salão, em Sófia ou Madureira, ninguém sai vivo. Bem fazes tu, ô Joaquim, de amar um pouco em silêncio, só no sapatinho da Cinderela.
Não consigo, amigo, lembras? Um dos meus maiores amores acabei, acabamos, na tua frente, era domingo e o cronista da segunda-feira como testemunha em um dia sem sol no Rio de Janeiro. Lágrimas de Ray-ban escorreram no café-da-manhã coladinho ali na Livraria Ponte de Tábuas, no Jardim Botânico, a rua seria a J.J. Seabra? O nome da abençoada era Antonia. O A de amor do alfabeto deste cego de nascença.
A porta, nosso eterno tema, cadê a porta em um amor que  acaba a céu aberto, como o que testemunhaste? Havia a porta. Eu provo. Não há amor que acabe sem o teatro dela, a porta. Havia a porta desenhada no asfalto, tipo Dogville, aquele filme-cabeça do cara sem juízo. Discreto, lembro que estavas lá, caro Joaquim, com uma moça bonita.
Amar em silêncio é para os mestres. Eu alardeio feito um galo – o único animal que canta depois que goza e ainda avisa para toda  gente da vizinhança. Eu preciso aprender a fumar o king size do abandono. Eu preciso de uma domadora para o meu desespero, amigo, chicote na mão, vestes sado-masochs. Pelo menos uma amizade colorida, jamais tons de cinza.
Falar em desespero, Joaquim, não sei mesmo amar e muito menos sofrer em silêncio. Sofro publicamente, duas ou três coisas que aprendi com Lupicínio e o cinema americano. Sou triste e espalhafatoso, como o velho compositor baiano já dizia.
No que ela, a gostosa, amigo, me acusa. Unha vermelha em riste, em um fio-terra moral nunca dantes: “Só queres o meu amor para escrever essas coisas, não para a gente pensar no futuro”.
Lembrei imediatamente, Joaquim, daquele samba do Gilson, “Poxa”, lembras?, o Zeca Pagodinho também canta. “Por que você não pára pra pensar um pouco?/ Não vê que é motivo de um poeta louco/ Que quer o teu amor pra te fazer canção…”
Lararirará.
Poxa, como foi bacana, que merda.
Ela não vê mais como é gostoso a gente ficar juntos, meu caro.  Prometi até levá-la para um final de semana no Rio de Janeiro, tomar umas no botequim Vinte e Oito, sabe quando a gente enche a cara mesmo com um amorzim novo joia rara, tomar aquele porre de felicidade?
Pensei todo o roteiro, que agora é apenas um filme triste na minha cabeça: depois Motel Batuta, ali na Gamboa mesmo, passaríamos na frente da funerária e não diríamos nada, embora eu pensasse algo do tipo morte e gozo têm o mesmo CEP, moram juntos, ô Mr. Postman.
Nosso amigo Plínio, também conhecido antigamente como “Meu Moreno Fez Bobagem”, te encontrou, Joaquim, outro dia, nessa mesma geografia afetiva que me serve hoje de sonho e bolero, sabe aquele futuro do pretérito do qual abusam os jornais sem provas? Seria, faria, teria, amaria, viajaria com ela para o Rio…
Minha gostosa, meu velho, embora muito rica, não passou de uma alegria de pobre. A manteiga beijou o taco muito antes do primeiro tango. Sou um desalmado Alain Delon sem aquele chicletinho que ele mascou na varanda parisiense.
Como vês, Joaquim, minha alegria é triste. Não queria encher o saco do amigo com este rosário de queixas. Paro. Vem aí o Carnaval e a gente nunca sabe como serão as manhãs.
Perdido, no mato sem cachorro, sem mulher e sem GPS, me despeço, carinhosamente, Francisco.
* Na imagem que ilustra a home do post: o disco Pôxa, de Gilson de Souza, citado na carta de Xico Sá.

DICAS DE SAUDE:

Nutricionista indica lista de alimentos capazes de curar a ressaca

shutterstock


Exagerar na bebida é sinônimo de um dia seguinte repleto de mal-estar causado pelos efeitos do álcool no organismo. Se você já passou por isso, sabe bem que a sensação não é nada agradável e é capaz de acabar com qualquer programação pré-planejada. Mas, para fugir disso e evitar ficar de molho em casa, uma alimentação adequada pode ajudar a curar a ressaca.
É o que afirma o nutricionista Fábio Bicalho, que lista as atitudes capazes de reverter os males do dia seguinte. Confira as dicas do especialista:
Sem peso! – “A alimentação em um dia de ressaca deve ser de 3 em e 3 horas, com alimentos leves e frutas ricas em água e fibras”, indica Bicalho, que lista as principais aliadas para curar o mal-estar: água de coco, melancia, uva, tangerina e frutas vermelhas.
Fuja dos preparados – A dica também é evitar bebidas fortes como café, mate e sucos prontos, além de fugir dos alimentos industrializados ricos em sódio, que retém líquido.
Muito chá – “A ingestão de Chás amargos são depurativos e aumentam o bem-estar nesses dias”. Exemplos: Chás de boldo, carqueja e alcachofra. O especialista indica o consumo de duas a três xícaras ao longo do dia.
O mais importante: água – O consumo de água de ser aumentado, já que o corpo está desidratado. “O ideal é beber de 30 a 50 ml por quilo de peso. Ou seja, uma pessoa que pesa 60 kg deve ingerir entre 1800 a 3000 ml de água”, finaliza.

EXTRAIDO DO BLOG DO SAKAMOTO:

Você pensa que é livre. Mas, na verdade, livre é o gato laranja

Todos os dias, às 17h, um gato alaranjado atravessa o telhado em frente à janela da minha sala no escritório. Tranquilo, devagar, despreocupado. Mas firme – como não poderia deixar de ser com um bichano de estirpe. Não sei qual o seu destino. Entregar-se a sevícias com a amante? Cair na farra com outros bigodes do bairro? Ou perpetrar algum ato ilícito? – até porque é impossível alguém ser tão pontual para um compromisso honesto. Nem as carolas, que corriam atrás do padre na igreja do bairro onde cresci chegavam tão pontualmente para a Ave Maria.
Enfim, o gato exala liberdade, provocando inveja neste que vos escreve. Sentimento agravado pelo fato da minha janela ser ornamentada com grades chumbadas pelo proprietário do imóvel, separando o caminho do gato e o meu. “Humano patético”, deve pensar o sacripanta.
Gato laranja, dia 28 de janeiro
Liberdade é uma bela abstração. Na prática, fazemos nossas escolhas dentro de uma faixa de possibilidades previamente determinada pela sociedade ou pelo grupo hegemônico. Somos livres, mas para optar pelas alternativas “a”, “b”, “c” ou “d”. Boa parte das vezes, se escolhermos “nenhuma das anteriores”, o gongo soa e uma cara de repreensão coletiva nos constrange.
Você acha, por exemplo, que exerce liberdade de escolha ao optar por um canal a cabo só porque há centenas de outros a dispor? Pense bem: quem colocou os canais lá? São todas as opções de assuntos e tipos possíveis? Todos os discursos presentes na sociedade estão representados?
Para falar a verdade, nem sua vida lhe pertence. Se, prontamente, pensou algo do tipo “Ah, claro que não, maldito herege! Ela pertence a Deus”, por favor, tome estes cinco reais e vá comprar balas para o tio lá na esquina, ok? Enquanto isso, converso com a mamãe e o papai. Afinal de contas, mesmo em sofrimento atroz, você não é livre para colocar seu ponto final.
Como a vida nos entrega uma miríade de opções pré-moldadas, vamos nos acostumando a considerar que elas são as únicas possibilidades. Nos acomodamos nessa zona de conforto. Não é o Ocidente que vem repetindo há dois mil anos que bem-aventurados os mansos porque eles herdarão a terra? Para o versículo, adotamos a interpretação de cobaia, ou seja, quem não questiona, será recompensado. Agora ou depois. Se é que existe depois.
Gato laranja, dia 29 de janeiro
Enfim, vale sempre lembrar que inovação dentro do sistema é reforma, não revolução, ao contrário do que alguns revolucionários de shopping acreditam fazer. Defender transformações, dentro de parâmetros pré-estalecidos. Buscar mudar o mundo e ser, ao mesmo tempo, o “empregado do mês”. Educados, enquadrados, embutidos, que não precisaram descobrir o que queriam ser quando crescer. Isso foi escolhido para eles.
É claro que possibilitar a ação livre de seres pensantes e contestadores pode colocar em risco a própria estrutura montada para que tudo funcione do jeito em que está. Pessoas assim, que – com espírito de grupo e coletivamente – discutem, debatem, discordam, mudam e criam opções além daqueles oferecidas, em tese, seriam úteis para uma sociedade. Mas, na realidade, são vistas com desconfiança e chamadas de mal-educadas. Subversivas. O capeta.
No jornalismo, a recompensa de cumprir o que o poder político ou econômico espera de nós pode vir na forma de dinheiro, de poder e da vaidade de ter os dois. Do contrário, não raro, colegas são vítimas de censura, ostracismo e danação – que tende a vir na forma de processos criminais ou civis.
Fico me perguntando como é que alguns fuinhas que se intitulam jornalistas se prestam a um papelzinho vergonhoso de publicar versões de grandes corporações sem checar antes a informação? Por glória, por dinheiro ou por medo, o fato é que – ao adotarem esse comportamento de vassalagem profissional – parecem cumprir o que se espera deles. Que não saiam do prumo.
Não estou falando de um caso específico, mas de um pacote que me incomodou muito esses dias. Será que esse pessoal, depois de um dia cheio de “trabalho”, não tem nenhum pesadelo à noite? Do tipo, ser tragado por cimento, afogado em óleo de automóvel, envenenado em pesticida ou enforcado em linha de transmissão?
Para eles, deve ser revoltante ver um gato laranja caminhando livre para onde quiser e tendo a rotina que escolheu. Uma perda de tempo! Se dependesse do julgamento desse pessoal, o gato teria liberdade de se deslocar para onde quisesse, sim. Mas do lado de cá das grades.

COMPORTAMENTO:

Depois da separação, evite que o seu filho se torne o 'homem da casa'

Rita Trevisan e Louise Vernier
Do UOL, em São Paulo

  • Orlando/UOL
    Um erro frequente das mães que se separam é deixar que os filhos passem a dormir com elas Um erro frequente das mães que se separam é deixar que os filhos passem a dormir com elas
É comum que a separação do casal tenha um grande impacto na vida dos filhos. Porém, algumas atitudes dos adultos podem agravar ainda mais a situação de desconforto que as crianças e jovens naturalmente experimentam.
De acordo com a psiquiatra Ana Margareth Siqueira Bassols, professora da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e chefe de serviço de psiquiatria da infância e da adolescência do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, em separações difíceis ou quando as mulheres são mais dependentes, a perda do cônjuge pode despertar sentimentos de insegurança e desamparo, contribuindo para que o filho, sem se dar conta, acabe assumindo algumas funções do pai.
O problema é que essa inversão de papeis pode prejudicar o desenvolvimento da criança ou do adolescente, que se encarrega de tarefas que, muitas vezes, não condizem com a sua idade. A postura do garoto pode até ser vista com bons olhos pela família, mas despertará sentimentos bastante controversos, fazendo-o sofrer.
Isso porque, no imaginário do menino, ao mesmo tempo em que surge uma espécie de satisfação por "vencer" o pai e conquistar toda a atenção da mãe, é comum coexistirem sentimentos de culpa, já que o garoto se sente, até certo ponto, responsável pela separação.
"Estamos falando de um processo complexo, que ocorre em nível inconsciente. O importante é entender que haverá um importante abalo emocional", explica a psiquiatra Vera Blondina Zimmermann, coordenadora do Centro de Referência da Infância e Adolescência da USP (Universidade Federal de São Paulo).
Portanto, deve haver muito cuidado para não fazer do garoto o "homem da casa". "Todos os filhos devem ter tarefas na rotina doméstica, sem distinção de sexo e idade. Mas é superimportante que a mãe avalie com critério se elas estão compatíveis com o momento do desenvolvimento do filho", diz Vera.

Assim, mesmo quando o filho se oferece para desempenhar determinadas funções, seja para apoiar e agradar à família ou para negar a falta que o pai faz, é interessante que a mãe reflita, antes de delegar a responsabilidade. Se houver dúvidas sobre o que o filho tem condições ou não de assumir, vale consultar as pessoas que estão de fora, familiares ou amigos confiáveis. Eles auxiliarão nessa difícil missão, ajudando a estabelecer limites saudáveis.
O acompanhamento de um psicólogo facilita a vida e é uma boa pedida, especialmente quando o garoto começa a apresentar sinais de que está sofrendo por conta da falta da figura paterna. "Isolamento, irritabilidade extrema, queda no rendimento escolar e muita dependência da mãe são sinais de que algo está errado", afirma o psiquiatra Luiz Cuschnir, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. O profissional vai avaliar a necessidade de indicar algum tipo de tratamento para o filho, para a mãe ou para ambos.

Cada um no seu espaço
 

Outra questão importante é o cuidado com a reorganização dos espaços domésticos a partir da saída do pai. Nesse momento, é comum que algumas mães coloquem o filho para dormir junto com elas. A mudança é uma estratégia para suprir a própria carência afetiva e está ligada ao desejo de manter o filho amparado nessa fase tão difícil. Entretanto, segundo os especialistas, o melhor é evitar tanta proximidade. 
"Os filhos devem ter seu próprio espaço e respeitar o dos pais", de acordo com Ana. Caso contrário, fica muito fácil a mãe transmitir e projetar no filho seus temores e inseguranças. Além disso, a situação pode reforçar a fantasia do filho de que é culpado pela separação dos pais, gerando angústia e prejudicando o bem-estar dele. Por fim, a mãe também pode sair prejudicada, ao passo que o garoto, tornando-se possessivo e dependente, terá dificuldade em aceitar um possível padrasto.

Nova dinâmica
 

Replanejar a própria vida para tentar preencher o vazio que ficou é a melhor forma de não causar problemas para o filho. Isso implica em encontrar outras fontes de afeto e até novos relacionamentos. "O grau de maturidade da mulher e a forma de  lidar com a separação favorecerão uma adaptação mais fácil à nova situação", diz Ana.
Manter o contato da criança com o pai, planejando visitas ou viagens, por exemplo, prezar pela participação dele nas tomadas de decisões importantes e garantir a presença de outras figuras masculinas –pessoas da família, amigos ou professores– na vida do garoto também é importante.
"É essencial oferecer ao menino a possibilidade de ter vivências com homens mais velhos, para que tenha modelos diferentes dos da mãe", explica Cuschnir. Outro cuidado é nunca se queixar do "ex" para a criança, procurando preservar a imagem paterna tão valorizada pelo menino.

LEVANDO NA ESPORTIVA:


EU CREIO...


CRISE NO PSOL>>>

Vereador que criou o bordão ‘ex-Gabeira’ agora é chamado de ‘ex-Jefferson’ no Psol

POR Rozane Monteiro
Rio -  Quando concorreu a governador em 2010, o hoje vereador do Psol Jefferson Moura sacudiu um debate entre os candidatos chamando o verde Fernando Gabeira de “ex-Gabeira” porque, por estar aliado ao PSDB na época, o ex-deputado federal teria traído sua própria história.
Ontem, o destino deu o troco no psolista. Em fogo muito pouco amigo, a presidenta regional do Psol, deputada estadual Janira Rocha disparou, sem dó: “Jefferson está adotando uma postura injustificável, ele agora é que é o ex-Jefferson.”
O babado interno do partido de menos de dez anos, quatro vereadores no Rio, dois deputados na Alerj e nove tendências, começou quando Jefferson se encontrou com o prefeito Eduardo Paes (PMDB) no início do ano e defendeu no Facebook a pré-candidatura a presidenta em 2014 da ex-verde Marina Silva, que vai criar um partido. Nada aparentemente desabonador numa democracia, certo? Mais ou menos.
A questão é que Jefferson fez as duas coisas sem consultar o Psol, que, em reunião da executiva regional na quarta-feira, soltou resolução ‘lembrando’ a psolistas em geral que essas coisas precisam passar pela cúpula.
Ficou tudo muito pior quando, irritado com o que chama de “mordaça”, Jefferson postou ontem na rede social, como se não houvesse amanhã, o manifesto “Stalinismo no Psol! Não me calarei!” Antes, um psolista de boa estirpe, Milton Temer, já tinha partido para a briga também no Facebook com o “ainda correligionário”. Ao DIA, Temer disparou, sem medo de ser feliz: “A porta de saída é serventia da casa.”
O deputado estadual Marcelo Freixo ajudou na pancadaria: “Ele está fazendo de tudo para se vitimizar e depois ir para o partido da Marina. Isso é feio e desnecessário.”
Se Jefferson quer ser expulso? Com a palavra, o próprio: “Seria precipitado decidir agora. Mas não vou abrir mão de falar o que eu penso.”
Se o Psol já pensa em expulsá-lo? Com a palavra, Janira: “Não temos vontade de expulsar. Agora, se ele está com vontade de ser expulso...”

SONHAR NÃO CUSTA NADA...


EXTRAIDO DO BLOG - EU SOU MEIGA, PORRA

Foi e eu respeito

Eu que sempre ando cheia de palavras, fiquei sem. Não optei por guardar ou coisa parecida, me faltaram de verdade. Eu que sempre tenho listas de mil coisas que posso ou devo fazer, fiquei sem ação. Eu que me jurei ser discreta, minha, não me expor, tava ali, sem nada, desarmada e impotente. E precisava dividir minha dor, porque batia fundo na carne, sem armadura, e doía mais forte. Precisava distribuir culpas, ainda que não houvesse. Precisava vomitar tudo que me fugiu, pra não viver de estômago embrulhado. Tá tudo bem, vai passar, sempre passa. Era justamente isso que me chateava, eu não queria que passasse. Não agora, não incompleto, não vivo assim. Não queria abortar a gente. Não, mas eu aceito, não há nada mais que eu possa fazer. Passei anos sendo limitada e acabei viciada em respeitar espaços. Espaços que nem existem, ás vezes. E respeito uma decisão também, um fim antes do final. Odeio, era o que eu menos queria, me chateia, mas eu respeito. Assim, nu e cru, sem clichê pra enfeitar uma decisão pessoal e egoísta. Tá indo porque quer, só. Foi bom, maravilhoso, foi amor. Foi e eu respeito.

DEU NO FACE:

"É tanto mimimi que a minha timeline devia se chamar timimimimiline."

EXTRAIDO DO MORRI DE SUNGA BRANCA:

Susana Maravilha

É muito comum as pessoas fazerem de si uma imagem que muitas vezes não corresponde de fato ao que elas são, e que, em geral, é a que os outros enxergam. Seja para tirar vantagem ou até mesmo por dificuldade de percepção da autoimagem. 

A diferença brutal de como você se vê e como os outros veem você. Para exemplificar de forma didática, vamos contar com a colaboração espontânea da atriz com 40 anos de TV Globo e amada em todo o Brasil e Portugal, Susanita Vieira.

Como a Susana se vê:



Como os outros veem a Susana:

(dica do @nettosommer)

AHHH, É EDMUNDO!!!!!!!


Edmundo: 'No meu tempo, era bem diferente'

Futebol - 31/01/2013 - 22:53

Edmundo, ídolo vascaíno
Crédito: O Globo

Após a derrota para o Flamengo, o atacante Edmundo fez um postagem em sua página no microblog Twitter comentando a diferença entre o clássico de hoje e o de quando jogava. Confira:

@edmundosouza7: No meu tempo era bem diferente !!!!

Fonte: Twitter Oficial do Edmundo (@edmundosouza7)

VASCOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!

Gaúcho diz que derrota servirá para corrigir os erros

Futebol - 31/01/2013 - 22:34

Gaúcho, técnico do Vasco
Crédito: Vasco

Técnico do Vasco, Gaúcho elogiou a atuação do time, mas não deixou de lamentar as chances perdidas na derrota por 4 a 2 para o Flamengo, nesta quinta-feira, no Engenhão, pela 4ª rodada da Taça Guanabara. O comandante considerou o resultado justo e afirmou que o revés serviu como aprendizado ao Cruzmaltino para a sequência da competição.

“O jogo foi aberto e as duas equipes procuraram o gol. O Flamengo teve as oportunidades e marcou. Não fizemos uma partida ruim, mas infelizmente as bolas não entraram. Pecamos na finalização, são coisas do futebol. O adversário hoje possui uma equipe mais encaixada do que a nossa”, afirmou.

Para Gaúcho, o primeiro clássico da temporada serviu como aprendizado ao Vasco. Após três vitórias contra times considerados pequenos, a derrota para o maior rival foi tratada como possível benefício futuro.

“Foi a primeira derrota do ano. Isso vai servir para acertarmos as coisas. Tenho a certeza de que estamos no caminho certo. Sabíamos que seria um teste muito bom para a nossa reformulação. Estamos montando uma equipe, jogadores chegando e recuperando a forma. Buscamos um time compacto para ter maior volume de jogo e melhorarmos na sequência. Vamos trabalhar. No fim de semana já temos jogo novamente”, encerrou.

E a preparação para o duelo contra o Bangu, domingo, às 19h30, em São Januário, já começa na manhã da próxima sexta-feira. O elenco vascaíno se reapresenta para o treinamento, às 10h30, na Colina histórica.

Fonte: UOL Esportes

EXTRAIDO DO BLOG DO ALESSANDRO BUZO:

Cantina da Mamma no Bixiga

Cesar Tralli ‏@CesarTralli
C meu chegado @Alessandrobuzo e o filho dele! Nosso especialista em cultura popular no #SPTV ! Cantina Mamma, Bixiga! pic.twitter.com/4wCbTldk


Foto que o Tralli tirou e publicou no TWITTER .... @Cesartralli


Quinta-feira, 31 de janeiro de 2013
Depois de prometer (até ao vivo no SPTV) que iria no Bixiga comer um macarrão comigo, hoje o amigo Cesar Tralli cumpriu a promessa.
Passou 19h na Livraria Suburbano Convicto e de lá subimos a 13 de Maio de pé até a Rua Conselheiro Carrão.
Se me reconhecem bastante na rua, eu que passo 5 min. uma vez por semana na TV, imagina ele que é ÂNCORA do SPTV.
- Todo mundo falava com ele.
Muita gente parabenizando o SPTV e dizendo ser fã.
Comemos na CANTINA DA MAMMA CELESTE que eu costumo ir no dia a dia (quando posso).
Massa mui boa.
Meu dia tinha sido difícil, mas jantar com meu filho e o figura do Tralli, melhorou até meu humor.
Valeu amigo, tamo junto.
Alessandro Buzo



Cesar Tralli e Alessandro Buzo


Tralli, dona da cantina (filha da Mamma) e o Evandro Borges.

EXTRAIDO DO BLOG DO PEDLOWSKI

Site G1 repercute pedido de suspensão das obras do Porto do Açu

MPF pede suspensão das obras no Porto do Açu, em São João da Barra


Pesquisa sobre salinização da água motivou ação do Ministério Público.
Empresas EBX, OSX e LLX, além do Inea e Ibama, são réus no processo.

Do G1 Norte Fluminense


Após uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), que apontou uma sanilização da água na região da construção do Porto do Açu sete vezes maior do que o permitido para o consumo humano no município de São João da Barra, o Ministério Público Federal (MPF) de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, solicitou o fim das obras de instalação do Complexo Portuário. Em caso de descumprimento, a pena pode chegar a multa diária de R$ 100 mil.


A liminar é contra as empresas EBX, OSX e LLX, do empresário Eike Batista. O Inea (Instituto Estadual do Ambiente) e Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis) também são réus no processo.


Saiba mais



Segundo a ação, há indícios de que as obras para construção do Porto do Açu, no 5º distrito de São João da Barra, causaram a salinização em áreas do solo, de águas doces em canais e lagoas e de água tratada para o consumo humano.

De acordo com o processo, movido pelo procurador da República Eduardo Santos de Oliveira, a salinização causou danos ambientais na fauna e flora, assim como a diminuição da fertilidade do solo, o aumento da erosão e o início de processo de desertificação na região.

O MPF pede ainda liminarmente o adiamento do início da operação do Porto do Açu, enquanto não forem comprovadas a restauração ambiental e a ausência de ameaças ao equilíbrio ambiental da área, e que o Inea suspenda as licenças de operação emitidas ou por emitir relacionadas às obras, enquanto a recuperação do meio ambiente não for comprovada.

Na ação, o MPF pede que as empresas EBX, OSX e LLX sejam condenadas a apresentar um projeto de recuperação do solo e dos recursos hídricos afetados no prazo máximo de 60 dias, que o Inea seja condenado a realizar uma auditoria ambiental na área e que o Ibama elabora uma análise ambiental, apresentando relatório com as medidas para reparação do dano.

Procurado pela reportagem do G1, o Inea informou que todas as informações sobre o assunto serão divulgadas nesta sexta-feira (01), em uma coletiva de imprensa com o Secretário de Estado de Meio Ambiente, Carlos Minc, e a presidente do Inea, Marilene Ramos. O Ibama não foi encontrado para falar sobre a ação.

As empresas EBX, OSX e LLX foram procuradas pela reportagem, e a LLX ficou de enviar nota à redação em nome de todas as empresas. No inicio da noite, a empresa enviou a seguinte nota à redação:

"A LLX e a OSX esclarecem que o aumento temporário do índice da salinidade é pontual e estava previsto no EIA/RIMA do projeto, assim como a redução contínua deste índice, já verificada nas últimas medições realizadas e apresentadas ao Instituto Estadual do Ambiente - INEA."

"Por iniciativa das duas empresas, estão sendo realizados estudos técnicos em parceria com universidades nacionais e internacionais, como COPPE (UFRJ) e USP. Também foi criado grupo de trabalho com a UENF para troca e análise de dados técnicos sobre este assunto."

"Quanto à Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), as empresas informam que irão recorrer e refutam com veemência alegações propostas no documento."

"Reafirmamos nosso compromisso com a transparência, a responsabilidade e a adoção das melhores práticas na construção do Superporto do Açu. Temos ciência da nossa responsabilidade e estamos à disposição para apresentar nossos projetos e prestar informações que se fizerem necessárias. Desde 2007, as empresas já participaram de mais de 50 reuniões, debates e audiências públicas sobre o Superporto do Açu."


EXTRAIDO DO BLOG DO CARLOS FERREIRA²:

Copa do Brasil 2013


Flamengo/RJ x Remo/PASport/PE x Vitória da Conquista/BABotafogo/RJ x Sobradinho/DFPortuguesa/SP x Naviraiense/MS
Sampaio Corrêa/MA x Campinense/PBABC/RN x Parnahyba/PICRB/AL x Fast Clube/AMPaysandu/PA x São Raimundo/RR
Ceará/CE x Ceilândia/DFVitória/BA x Mixto/MTFigueirense/SC x AC ou ES*Santos/SP x Flamengo/PI
ASA/AL x RN3*Boa/MG x Salgueiro/PESão Caetano/SP x Arapongas/PRJoinville/SC x Aracruz/ES
Internacional/RS x Rio Branco/ACParaná/PR x São Bernardo/SPCruzeiro/MG x CSA/ALNáutico/PE x CRAC/GO
Santa Cruz/PE x Guarani/CECriciúma/SC x Noroeste/SPCaxias/RS x Resende/RJBetim/MG x Bangu/RJ
Avaí/SC x RJ4*Coritiba/PR x CSP/PBAtlético-GOx Cametá/PABahia/BA x MAC/MA
América-MG x Gurupi/TOÁguia de Marabá/PA x Nacional/AMGrêmio Barueri/SP x Cianorte/PRLuverdense/MT x Tupi/MG
Goiás/GO x Oratório/APPonte Preta/SP x Itabaiana/SEAtlético-PR x Brasil/RSGuarani/SP x Confiança/SE
Santo André/SP x Veranópolis/RSBragantino/SP x Águia Negra/MSAmérica-RN x Ji-Paraná/ROFortaleza/CE x Luziânia/DF


  • *Equipes ainda não foram definidas