SEJAM BEM VINDOS AO MEU BLOG, O OBJETIVO É FALAR DAS EXPERIÊNCIAS QUE TENHO AO LONGO DOS MEUS DIAS, AQUI SABERÃO UM POUCO DE MIM, DO QUE PENSO E DO QUE ACHO QUE SEI, BOA LEITURA E DIVERSÃO.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

É AMANHÃ!!!!!


AOS FÃS e OUVINTES DO BLACK TOTAL:

BLACK TOTAL 114 - FAÇA O DOWNLOAD NO MEU BLOG -->> waguinhobsl.blogspot.com

HORÓSCOPO NORDESTINO >>>>


DE VOLTA AO PASSADO....


TOMA!!!!!


OPS!!!!!


E FOI ASSIM....


NA SÉRIE - FAZ SENTIDO:


QUE ISSO FERA ?????!!!!


NA SÉRIE - VICIADOS:


AGENDE-SE:


POR MÁRIO MAGALHÃES >>>>

Ao aderir aos ‘fatos alternativos’, Fifa rouba dias de glória do futebol

Mário Magalhães

Resultado de imagem para uol sede da fifa
Uma entidade sombria, inimiga do futebol – Foto Arnd Wiegmann/Reuters

Até a grama devastada do Maracanã sabe da última da Fifa: como contou o repórter Jamil Chade, a entidade empenhada em demonstrar renovação teima em não reconhecer os campeões mundiais de clubes pré-2000.
Devo estar doido. Jurava que no dia 12 de dezembro de 1993 cobrira em Tóquio o bi tricolor, ao lado dos colegas Jorge Araújo e Andréa Fornes. Abria assim a cobertura: ''O São Paulo conquistou ontem o bicampeonato mundial de clubes. É o maior triunfo da história de clubes brasileiros de futebol, ao lado dos dois títulos planetários do Santos (1962/63). Derrotou o Milan por 3 a 2. O gol da vitória foi marcado pelo atacante Muller, a quatro minutos do final. 'Foi a vitória da fantasia contra um time aplicado, que parece uma máquina', disse o meio Toninho Cerezo, 38, o mais velho jogador em campo''.
De acordo com a Fifa, o confronto entre os campeões europeu e sul-americano não valeu o título mundial. Logo, Telê Santana teria passado pela vida sem ganhar um mundial.
Pelo mesmo critério, o Santos do Pelé jamais venceu um mundial, a despeito das conquistas de 1962 e 1963. No segundo jogo da disputa do bi, Almir Pernambuquinho jogou no lugar do rei. Esquentado como era, se ainda estivesse aqui, o Almir sairia no braço com os cartolas da Fifa.
O título da Copa Rio de 1951, comemorado pela torcida do Palmeiras como um mundial, também não é reconhecido. E isso que a Fifa já chancelara o clube como ''primeiro campeão global''. Mas, sustenta agora, não mundial.
O comunicado da sexta-feira é categórico: só são ''considerados oficialmente pela Fifa como campeões mundiais de clubes'' os de 2000 em diante. Também tive o privilégio de cobrir este mundial, vencido pelo Corinthians no Maracanã. O Vasco foi vice.
Uma das minhas maiores alegrias, pelo visto, foi sonho e delírio: os 3 a 0 do Flamengo sobre o Liverpool, no Japão. Assisti à partida pela TV, na madrugada de 13 de dezembro de 1981. No primeiro tempo, enquanto o rubro-negro extasiava, um locutor, salvo engano o Léo Batista, informou que o general Jaruzelski dera um golpe de Estado na Polônia. Se prevalecesse a lei da Fifa, o Zico nunca teria sido campeão mundial. Mas foi.
Nem o Grêmio do Renato Portaluppi, autor dos dois gols na vitória de 2 a 1 sobre o Hamburgo em 1983.
O que a Fifa acha vale tanto quanto a palavra do Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos vive a era dos ''fatos alternativos''. Noutras palavras, carentes de lastro na realidade. Sem eufemismos: mentiras.
O futebol é muito maior do que um Gianni Infantino, o presidente da Fifa, e toda a sua turma.
Dias de glória como aqueles em que tantos heróis se tornaram campeões mundiais não podem ser roubados na mão grande, como faz a entidade desmoralizada por tanta roubalheira.
A Fifa aderiu aos fatos alternativos.
Por mais que minta, não mudará a história, nem roubará o que foi conquistado em campo.
Saudade do Telê.
(O blog está no Facebook e no Twitter )

POR SAKAMOTO >>>>

Eike Batista, cela especial e o Brasil que discrimina por anos de estudo

Leonardo Sakamoto

O empresário Eike Batista foi preso na manhã desta segunda (30), ao voltar ao Brasil, após alguns dias figurando na lista de procurados internacionais. Sua prisão havia sido decretada como desdobramento da Operação Lava Jato por corrupção e pagamento de propina. Eike – que, há cinco anos, aparecia como a sétima pessoa mais rica do mundo pela lista da Forbes – estaria preocupado em ficar em uma cela comum enquanto aguarda uma decisão da Justiça, uma vez que não concluiu o ensino superior.
É uma preocupação rara para quem tem muito dinheiro no país. Apesar de não haver uma relação obrigatória de causa (ser rico) e consequência (ter diploma universitário), a incidência de diploma é maior entre os mais abastados do que entre os mais pobres.
A desigualdade social se manifesta de diversas formas, algumas mais tacanhas que outras. A prisão especial provisória para quem tem diploma, na minha opinião, é uma das mais descaradas. Afinal, se duas pessoas cometem o mesmo crime, mas um delas estudou mais, esta poderá ficar em uma cela especial, separada dos demais presos até condenação (ou absolvição) em definitivo. Se a outra tiver, digamos, até o ensino médio, terá que aguardar o julgamento com a massa, na xepa.
Gostaria de resgatar essa discussão que já travei aqui aproveitando o caso de Eike. Não vou entrar no mérito dele pleitear o benefício, mas a existência desse benefício em si.
O artigo 5° da Constituição Federal diz que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza''. Mas, na prática, a legislação brasileira confere o privilégio de não ficar em cárcere comum até o trânsito em julgado de uma decisão penal condenatória para alguns grupos. Em certos casos, como juízes e delegados de polícia, por exemplo, isso faz sentido. Em outros, como os detentores de diploma de curso superior, não.
Quem teve acesso à educação formal desfruta de direitos sobre quem foi obrigado, em determinado momento, a escolher entre estudar e trabalhar. Ou que, por vontade própria, simplesmente optou por não fazer uma faculdade. Afinal de contas, só o pensamento limitado é capaz de considerar alguém superior por ter um bacharelado ou uma licenciatura. Posso ter mais conhecimento técnico em determinada área, mas isso não faz de mim – necessariamente – uma pessoa melhor.
O Senado Federal havia derrubado essa aberração presente no artigo 295 do Código de Processo Penal (“Serão recolhidos a quartéis ou a prisão especial, à disposição da autoridade competente, quando sujeitos a prisão antes de condenação definitiva: os diplomados por qualquer das faculdades superiores da República'' – parágrafo único, inciso VII), mas a Câmara os Deputados barrou a mudança.
Rodrigo Janot, procurador geral da República, também ajuizou no Supremo Tribunal Federal uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental contra o mesmo inciso. Segundo ele, o item “viola a conformação constitucional e os objetivos fundamentais da República, o princípio da dignidade humana e o da isonomia”. Segundo sua argumentação, a separação não deveria ocorrer por conta do nível educacional, mas da natureza do delito, da idade e do sexo.
Coincidentemente, o processo (ADPF 334) tinha como relator o ministro Teori Zavascki, que também cuidava da Lava Jato e dos seus vários réus com curso superior.
Concordo com a opinião de juristas que ressaltam que estamos tratando de prisão provisória. Ou seja, considerando que, antes do julgamento e de uma condenação, há a presunção da inocência, seria importante que o regime desses presos fosse diferenciado.
Ou seja, toda prisão provisória deveria ser em cela especial – do iletrado ao que tem pós-doutorado. Assim, não seria a concessão de um privilégio, mas a garantia de um direito.
O atual Código de Processo Penal passou a vigorar em 1942, quando poucos tinham acesso ao ensino superior – situação que está mudando no Brasil. Antes, o número de faculdades particulares era pequeno e as suas mensalidade altas, ao passo que os vestibulares das universidades públicas eram duros o bastante para quem estudou a vida inteira em escola pública e não tinha dinheiro para pagar um cursinho.
Não que o acesso ao ensino superior tenha se universalizado – longe disso. Mas ao mesmo tempo que aumentou o número de vagas em públicas federais (ainda que continuem bem insuficientes, diga-se de passagem), explodiu a quantidade de faculdades privadas, com mensalidades acessíveis ou possibilitadas por Fies e Prouni – muitas delas caça-níqueis e com qualidade duvidosa. O fato é que muita gente do “andar de baixo'' passou a obter diplomas de nível superior.
Quando muitos têm uma calça exclusiva, ela deixa de ser exclusiva e passa ser popular. Daí, quem detinha a exclusividade passa a pensar em outra forma de se diferenciar. Nesse sentido, qual seria o próximo passo? A construção de mais celas especiais ou a criação de outros critérios para garantir que nós, da elite, continuemos separados da ralé, agora com diploma?
Por enquanto o andar de cima não perdeu nada, por mais que os mais ricos reclamem que o povaréu tupiniquim ascendeu e está transformando aeroportos em rodoviárias e tirando seu sono.
Mais simples e melhor continua sendo o método: “Tenha um bom advogado e seja feliz”.
Com isso, fica mais fácil cometer barbaridades e ficar em um lugar “diferenciado'' até o julgamento. E, mesmo julgado, permanecer separado da massa até que todos os recursos sejam esgotados – isso quando não consegue ficar em casa mesmo em um processo que pode levar mais tempo do que aquilo que lhe resta de vida.
Com um bom advogado, é possível conseguir habeas corpus de forma rápida. Por que eles compram resultados? Não. Mas porque usam todos recursos possíveis para garantir tudo aos seus clientes – coisa que a xepa não consegue (ainda mais com a estrutura insuficiente à disposição das Defensorias Públicas).
Talvez a cela especial acabe quando o acesso ao ensino superior tornar-se tão comum quanto a alfabetização – o que pode levar algum tempo, mas há de acontecer.
Ou seja, não terá sido mérito nosso como sociedade essa mudança, mas do tempo, que – inexoravelmente – transforma tudo. Ou quase tudo. Precisamos de leis com previsão de privação de liberdade para crimes graves – não para coisas ridículas como venda de maconha ou roubo de um xampu. E que sejam punidas, conforme essas leis, as pessoas que causaram grandes danos à vida dos outros ou à sociedade.
Muita gente economicamente graúda foi em cana por conta de operações como a Lava Jato, o que é um alento. Mas, com isso, fica a impressão de que nosso sistema de Justiça está melhorando – o que não é verdade necessariamente. Isso só acontecerá quando nossas prisões não estiverem mais superlotadas de pobres, muitos deles tento cometido crimes ridículos. E que todas as pessoas tenham o mesmo tratamento, independentemente de quanto têm na conta bancária.

POR XICO SÁ >>>>

Mais masturbação, com ou sem amor

Depois de voltar aos anos 1990 na política temerosa e tacanha, os aliados do Governo rogam pelo retorno do século XVIII



Bromas à parte, como o Projeto de Lei 6.449/2016 do deputado federal Marcelo Aguiar (DEM-SP), as atividades masturbatórias merecem todo respeito e devoção. Quiçá um plano nacional de incentivo. Algo pedagógico e curricular, na linha do psicanalista austríaco Wilhelm Reich (1897-1957), um bravo combatente contra a repressão ao prazer.
Em vez de campanhas publicitárias desastrosas — gente boa também mata! —, mais educação sexual no próximo ano letivo. Mate-me na mão, por favor. Vem comigo neste libelo de botequim, destemidas criaturas. Chega de retrocesso histórico. Depois de voltar aos anos 1990 na política temerosa e tacanha, os aliados do Governo, caso do legislador anti-gozo em questão, rogam pelo retorno do século XVIII.
Neste período, lembra a minha amiga Regina Navarro Lins, psicanalista e escritora de mancheia, até a ilustradíssima Europa se estrebuchava contra a prática do onanismo. O gênio Rousseau, pasme, definiu a punheta como uma doença grave. Não havia “contrato social” que desse jeito na parada.
Corta para 2017. Parlamentices à parte, debatíamos o tema no último programa Papo de Segunda (canal GNT), quando a tela enrubescida exibiu um twitter de uma telespectadora que dizia ter nojo da masturbação. A palavra era nojo, repito. Nosso arrojado mediador Marcelo Tas, com uma maõzinha da atriz Mônica Martelli, devem ter convencido a jovem a mudar de ideia. Espero.

Medo do brinquedo

A vergonha e o medo de se tocar ainda existe, rapazes e raparigas. No que lembro de uma pesquisa de 2010 reveladora: 78% das brasileiras rejeitavam a siririca — adotemos o glossário popular de uma vez por todas.
Nada estranho no país em que o machismo puxa o gatilho e o machão ainda acha que o vibrador da mulher ainda é o seu inimigo dentro de casa. Corno de um inocente e delirante brinquedinho, ora ora? Seja homem e junte-se à moça nas fantasias e prazeres. Libera. Você vai curtir.
Pelo direito bíblico dos jovens Onãs, caríssimo e desocupado parlamentar. Duvido que o papa Francisco entenda tal “desordenado gesto” (registrado no Catecismo da Igreja Católica) como pecado. Sem o dito ato carnal e recreativo, o que seriam dos seminários e dos conventos? Relaxa.
Corta para a Matriz de Nossa Senhora das Dores, Juazeiro do Norte. Na confissão para a Crisma, entreguei o jogo ao padre Murilo, anos 1970: “Andei pensando desordenadamente na minha vizinha Neidinha”. Ele perdoou, óbvio, sabia das coisas da vida.

Viagem literária

Pulemos, pois, o muro moral e dogmático dos reprimidos e repressores. Chegou aquele momento em que esta coluna fornece o mote ilustrado para a discussão no boteco no final de semana. A fonte é o livro O amor de mau humor (Companhia das Letras), editado e traduzido por Ruy Castro:
“O que eu gosto na masturbação é que você não tem de dizer nada depois” (Milos Forman).
“Masturbação! É impressionante como ela está sempre disponível!” (James Joyce).
[Quando lhe perguntaram por que dera o nome de Onan a seu canário]: “Porque ele despeja suas sementes pelo chão.” (Dorothy Parker).
“No século XIX, a masturbação era uma doença; no século XX, é uma cura.” (Thomas Szasz).
“Punheta satisfaz, mas não convence.” (Marcos de Vasconcellos).
“Onanismo: perversão sexual que consiste em somente ter relações com um fanho.” ( Luís Fernando Veríssimo).
Ih, faltou aquela do Woody Allen. Sim, ainda é a melhor forma de fazer amor com a pessoa que você mais ama.
Xico Sá, escritor e jornalista, é autor do Catecismo de Devoções, Intimidades & pornografias (Editora do Bispo), entre outros livros.

POR SÉRGIO VAZ³ >>>>

Acho que depois que a gente cresce,
fica pequeno.

Sergio Vaz

POR SÉRGIO VAZ² >>>>

MINICONTO
Seu Firmino não tinha dentes.
Em compensação não tinha nada pra comer.
Boca maldita!

Sergio Vaz

POR SÉRGIO VAZ >>>>

Neste mundo globalizado e neoliberal até o ódio é terceirizado.
Sergio Vaz

POR ROGÉRIO OLIVEIRA >>>>

"Um dia alguém vai chegar e vai permanecer. Você não vai precisar implorar por nada, ele vai chegar, se instalar e mudar a sua vida por inteira. Um dia alguém vai valorizar o seu sorriso, o seu jeito de encarar a vida. Vai te segurar pela mão e vai te mostrar para o mundo. Um dia alguém vai te provar o quanto você é incrível, mesmo sendo inconstante, ciumenta e repleta de medos que vez em quando te impedem de dar um passo mais a diante. Um dia alguém vai ser inteiramente seu. Vai te provar em atitudes o quanto existe reciprocidade e vontade de te fazer a pessoa mais feliz desse universo. Um dia alguém chegará com o otimismo que te falta. Vai te levar para conhecer os lugares que você nunca pensou que existiria. Vai fazer planos, traçar uma rota, vai te levar para jantar ou para assistir uma temporada inteira da sua serie favorita jogados no tapete da sala. Um dia alguém vai apostar em você, vai dar gás aos seus sonhos adormecidos, vai te fazer enxergar a vida com outros olhos e te assegurar que vocês realmente nasceram para se pertencer. Um dia alguém vai chegar para te amar do seu jeito. Vai te aceitar com os quilinhos a mais, com a celulite que você tem receio de mostrar, vai te amar com a cara lavada, de cabelo bagunçado e pés descalços. Um dia alguém vai te abraçar forte e te proteger de tudo que te afronta. Um dia alguém vai te tratar do jeito que você merece, vai ser o que nenhum outro foi em sua vida, e vai te fazer entender porque Deus demorou tanto para colocar alguém em seu caminho. Um dia alguém vai querer dormir e acordar do seu lado, vai querer mudar a sua história, o seu status e até seu sobrenome. Um dia alguém vai se preocupar com você de verdade, vai se importar com os seus resmungões e ficar do seu lado mesmo quando a TPM for intensa, e o seu desejo for de não vê-lo nem pintado de ouro. Um dia alguém vai cuidar do seu coração calejado e vai te mostrar que mesmo desacreditada, é possível sim amar de novo." [Rogério Oliveira]

EXTRAIDO DO FACE - IMPULSIVA:

"Um brinde aos recomeços que nos permitem escolher outros caminhos e novos fins."
✔ Recomeçar sempre, desistir jamais.

UM AMOR DE MÃE....


PAPO RETO:


FICAM AS DICAS....


ET >>>>


VAI VENDO....


ESCLARECENDO....


BELA IMAGEM!!!!!


É DESSE JEITO!!!!


AOS FÃS e OUVINTES DO BLACK TOTAL:

BLACK TOTAL 114 - FAÇA O DOWNLOAD NO MEU BLOG -->> waguinhobsl.blogspot.com

BOA PERGUNTA:

SE JESUS VOLTASSE NO VERÃO, COMO TE ENCONTRARIA?

EM MENTIRAS DESLAVADAS....

A MBL NÃO TEM PARTIDO.

NA SÉRIE CONTRADIÇÕES >>>>

1 - EXIGE DOS OUTROS, A QUALIDADE QUE NÃO TEM.
2 - PAGA DE CRISTÃO FERVOROSO, MAS VIVE DIZENDO "MEU FECHAMENTO É VOCÊ, MOZÃO!"
3 - PEDE BOLSONARO PRA PRESIDENTE, PORQUE QUER ORDEM NO PAIS, MAS ROUBA SINAL DE INTERNET.

NA SÉRIE - CONCLUSÕES:

CARÁTER É ALGO QUE NÃO SE COMPRA, OU VOCÊ TEM ou NÃO TEM.

DESCONFIE...

DESCONFIE DE QUEM ACREDITOU NA MBL.

EU IA....

EU IA PUXAR O CABELO, MAS ERA PERUCA

FRASE DO DIA:

FACA NO DENTE, COMBATENTE, ATRÁS DO OURO DO TOLO.

NA SÉRIE CONTRADIÇÕES >>>>


ABRINDO OS TRABALHOS....


BOM SABER....


BEYONCÉ:


EU TAMBÉM...


POR FAVOR!!!!


CARROS:


BUZÃO:


MÚSICA DO DIA:

RÁDIO TÁXI - UM AMOR DE VERÃO

Um amor de verão
Tem um sol particular
Queima a boca até rachar
Não tem meio coração...

Um amor de verão
Vem com tudo a favor
Foge em ondas de calor
E tem outra vibração...

Um amor de verão
Tá na pele tá no ar
Tá nos olhos de quem dá
Tá no gosto do limão...

Um amor de verão
Corre em rios pelo mar
Tem mais chance de brilhar
E tem outra vibração...

Quando você passa
Dá de graça tentação
Onde há fumaça assa um beijo...

A febre do desejo
Dispara o coração
Quando ao fundo eu te vejo
Dentro do maiô
Oh! não! oh! não
Quando ao fundo eu te vejo
Dentro do maiô
Oh! não!...

Um amor de verão
Tá na pele tá no ar
Tá nos olhos de quem dá
Tá no gosto do limão...

Um amor de verão
Corre em rios pelo mar
Tem mais chance de brilhar
E tem outra vibração...

Quando você passa
Dá de graça tentação
Onde há fumaça
Assa um beijo...

A febre do desejo
Dispara o coração
Quando ao fundo eu te vejo
Dentro do maiô
Oh! não! oh! não!
Quando ao fundo eu te vejo
Dentro do maiô
Oh! não! oh! não!
Quando ao fundo eu te vejo
Dentro do maiô
Oh! não! oh! não!
Quando ao fundo eu te vejo
Dentro do maiô
Oh!
não!...


Um amor de verão!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

JOGO LIMPO:

Olá amigos, estamos de volta com a nossa coluna, trazendo a 1ª rodada dos campeonatos regionais, além dos campeonatos gringos, mercado da bola, superliga de vôlei, Copa do Brasil de vôlei feminino, NBB, amistosos, Fórmula 1 e muito mais. Desejamos a todos, uma ótima leitura nesse nosso retorno.

- BOTAFOGO 1X1 NOVA IGUAÇU: O Botafogo segue sem vencer no Campeonato Carioca. Após ser derrotado pelo Madureira em jogo antecipado no meio de semana, o time da estrela solitária não passou de um empate com o Nova Iguaçu, em partida disputada no sábado, no estádio Nilton Santos, lugar que não atuava há tempos. Com o resultado, o time conquistou o seu 1º ponto no Grupo B, o mesmo acontecendo com o Nova Iguaçu, que fez a sua estreia na competição. Vale dizer que pensando na pré Libertadores na próxima quarta, o time poupou a maior parte dos seus titulares. Sob um sol forte, o Botafogo, com o meia Camilo adiantado, foi mais agressivo, já o Nova Iguaçu, com um forte esquema defensivo, buscou impedir que o adversário penetrasse na sua área. Aos 6 minutos, Pachu recebeu na esquerda e bateu cruzado, a bola desviou na zaga e foi a escanteio; na cobrança de Camilo, o zagueiro Marcelo cabeceou e venceu o goleiro Jefferson, 1x0. O Nova Iguaçu chegou aos 11, Paulo Henrique bateu falta, mas a bola desviou na barreira e logo foi afastada. Aos 19, Gatito Fernandez defendeu um chute de Iuri Pimentel. Aos 24, Sassá ganhou de Raphael Azevedo na corrida e bateu por cima do travessão. Aos 28, Yan cruzou fechado da direita, mas ninguém concluiu. Aos 33, após cobrança de escanteio, o zagueiro Murilo completou, mas a bola encobriu o gol alvinegro. Aos 37, Gilson bateu falta e Sassá cabeceou para a defesa de Jefferson.
O Botafogo voltou do intervalo com o atacante camaronês Joel na vaga de Pachu. Aos 3 minutos, Marcinho cruzou, mas Sassá cabeceou mal. A resposta do Nova Iguaçu foi imediata; Adriano recebeu na entrada da área e bateu forte, mas a bola desviou e saiu para escanteio. Aos 7, Marlon arrancou pela direita, se livrou de 2 marcadores e cruzou para Adriano, que concluiu mal. Aos 11, o zagueiro Murilo Henrique, em posição de impedimento, aproveitou uma cobrança de falta e subiu mais do que a zaga alvinegra para empatar o jogo, 1x1. Depois do empate, o Botafogo tentou reagir, mas só chegou aos 17; Camilo bateu falta e Jefferson Jair Ventura fez mudanças, mas o time continuou apático, o que irritou a pequena torcida presente. Aos 32, Camilo fez boa jogada, tabelou com Gilson, e concluiu, mas o zagueiro Murilo Henrique salvou sua equipe. Aos 41, Gatito Fernandez fez grande defesa ao espalmar para escanteio, uma cobrança de falta de Paulo Henrique. No final, o Botafogo tentou pressionar e Roger desperdiçou a última chance, chutando em cima do gol. Na próxima rodada, o Botafogo vai enfrentar o Macaé, no Engenhão. Já o Nova Iguaçu vai encarar o Boavista, em Bacaxá.

- FLAMENGO 4X1 BOAVISTA: O Flamengo assumiu a liderança do Grupo B do Campeonato Carioca ao golear o Boavista, em partida disputada no sábado, na Arena das Dunas, em Natal/RN. O rubro-negro da Gávea marcou seus primeiros 3 pontos na competição, se igualando ao Madureira, mas sendo superior no número de gols marcados. O Boavista é o lanterna do grupo, sem qualquer ponto ganho. O Flamengo partiu para o ataque desde o início e logo aos 2 minutos, o lateral peruano Trauco cruzou e Mancuello quase alcançou a bola. A resposta do Boavista veio em chute forte de Pedro Botelho que Alex Muralha espalmou para escanteio. O rubro-negro tinha mais posse de bola e procurava espaços para penetrar na área do Boavista, que se defendia com muitos jogadores. Aos 19 minutos, o time dirigido por Joel Santana apareceu na área do Flamengo com uma investida de Maicon pela direita, após lançamento de Erick Flores; o cruzamento não foi cortado e Mosquito mandou pra fora. Logo após da parada técnica, Erick Flores cruzou, Trauco desviou de cabeça e Júlio César pegou de primeira, levando muito perigo ao gol de Alex Muralha. Aos 31, Trauco cruzou com perfeição na cabeça de Guerrero, Flamengo 1x0. Aos 40, Pedro Botelho cruzou e Mosquito subiu para cabecear e deixar tudo igual, 1x1. Aos 43, Trauco cruzou, a zaga cortou mal e Mancuello concluiu para a defesa em 2 tempos do goleiro Felipe Roubado é mais gostoso.
O Flamengo voltou mais agressivo para 2º tempo e logo aos 2 minutos, Mancuello bateu falta e Rafael Vaz cabeceou com perigo. Aos 8, Mancuello lançou Trauco, que invadiu a área e tocou na saída de Felipe, 2x1. Aos 15, Rodinei cruzou e Guerrero subiu com estilo para marcar novamente, 3x1. Depois da parada técnica, o time dirigido por papai Joel Santana quase marcou o segundo gol aos 26, mas Alex Muralha fez grande defesa, em cabeçada de Matheus Paraná; logo depois, Rodinei invadiu a área, mas foi bloqueado por Felipe. Depois dos 35, o Flamengo passou a administrar o resultado, enquanto o Boavista, sem forças para reagir, conformou-se com o resultado. Aos 46, Diego usou toda a sua categoria para se livrar de um marcador e chutar sem defesa para Felipe, 4x1. Na próxima rodada, o Flamengo pega o Macaé, no Raulino de Oliveira, enquanto que o Boavista vai receber o Nova Iguaçu, em Bacaxá.

- VASCO 0X3 FLUMINENSE: No 1º clássico do Carioca 2017, o Fluminense derrotou com facilidade o Vasco, no estádio Nilton Santos. O Tricolor assumiu a liderança do Grupo C, com 3 pontos ganhos e o Vasco, que deixou a sua torcida boladona, ainda não pontuou. Apesar do forte calor, os times começaram em ritmo forte; o Vasco criou o 1º momento de emoção, após levantamento na área, Nenê escorou para Henrique que tentou Thalles, mas a zaga tricolor mandou para escanteio. O Fluminense respondeu com um bom lançamento de Gustavo Scarpa para Lucas que cruzou para Henrique Dourado, mas Rodrigo cortou. Depois dos 10 minutos, os times ficaram mais lentos e errando muitos passes, principalmente pela insistência nos lançamentos. Aos 17, após cobrança de escanteio, Luan apareceu livre na pequena área e cabeceou no travessão de Diego Cavalieri. Depois da parada técnica, o Fluminense voltou mais decidido e aos 21, o lateral Lucas arriscou um chute cruzado, sem perigo. Aos 23, Lucas achou Henrique Dourado, que tentou Wellington Silva, que não conseguiram concluir. Logo depois, Gustavo Scarpa arriscou do bico direito da grande área e Martín Silva defendeu. Aos 26, Sornoza lançou Henrique Dourado, que tocou para Douglas; Martín Silva bloqueou o chute, mas a sobra ficou com Wellington Silva que bateu firme para fazer 1x0. O Tricolor ampliou aos 32; o equatoriano Sornoza driblou Andrezinho e Henrique de uma só vez e rolou para Henrique Dourado, sozinho, fazer 2x0. O time de Abel Braga seguiu mandando no jogo e Douglas mandou uma bomba que Martín Silva defendeu com dificuldade. Aos 37, Eder Luis tentou cruzar, a bola desviou no zagueiro Henrique e quase surpreendeu Diego Cavalieri. Aos 41, Douglas foi lançado na corrida e Martín Silva saiu e dividiu o lance, Wellington Silva pegou a sobra, mas chutou de forma bisonha, pra fora. Aos 45, Nenê isolou um rebote da zaga tricolor.
O Vasco mexeu para o 2º tempo, mas foi o Fluminense que criou a 1ª oportunidade; Wellington Silva foi lançado livre na área, mas concluiu pra fora, quando Henrique Dourado, livre, esperava o passe. Aos 4 minutos, Thales bateu cruzado de fora da área e Diego Cavalieri soltou, Guilherme completou forte e a bola explodiu na cabeça de Lucas. Logo depois, Thalles chutou rasteiro e Diego Cavalieri defendeu. Aos 8, Madson arrancou e cruzou, Andrezinho rolou para Thalles, que ajeitou e mandou por cima do travessão. Aos 16, Thalles achou Madson que entrou livre e chutou, mas Diego Cavalieri saiu e bloqueou o chute. Aos 18, Henrique Dourado recebeu na área e tocou para Gustavo Scarpa que se livrou da marcação e chutou para grande defesa de Martín Silva. No lance seguinte, foi a vez de Gustavo Scarpa rolar para Lucas bater pra fora. Aos 28, Rodrigo e Diego Cavalieri dividiram na área e a bola sobrou para Ederson que tentou um voleio, mas mandou longe do gol. Aos 33, Luan fez grande jogada individual, se livrando de 3 marcadores, mas foi desarmado na hora da conclusão. Aos 35, Luan perdeu a bola na intermediária e em contra ataque rápido, com Andrezinho de último homem, Marcos Junior tabelou com Gustavo Scarpa e tocou na saída de Martín Silva, 3x0. Na próxima rodada, o Fluminense pega o Resende. Já o Vasco pega o Bangu.


RAPIDINHAS:

- CAMPEONATO CARIOCA: (GRUPO B) - MACAÉ 1X2 MADUREIRA - (GRUPO C) - RESENDE 2X2 VOLTA REDONDA - BANGU 2X2 PORTUGUESA

- CAMPEONATO MINEIRO: ATLÉTICO 1X0 AMÉRICA TO - TRICORDIANO 0X1 UBERLÂNDIA - TUPI 0X1 TOMBENSE - VILA NOVA 1X2 CRUZEIRO - DEMOCRATA GV 0X2 AMÉRICA

- CAMPEONATO GAUCHO: VERANÓPOLIS 1X1 INTERNACIONAL - JUVENTUDE 0X0 BRASIL DE PELOTAS - (HOJE) - NOVO HAMBURGO X CAXIAS - (QUINTA) - GRÊMIO X YPIRANGA

- CAMPEONATO CATARINENSE: CRICIUMA 0X1 AVAI - FIGUEIRENSE 1X2 BRUSQUE - CHAPECOENSE 2X1 INTERNACIONAL DE LAGES - ALMIRANTE BARROSO 2X2 JOINVILLE

- CAMPEONATO PARANAENSE: CIANORTE 1X0 CORITIBA - LONDRINA 1X1 PRUDENTÓOLIS - RIO BRANCO 1X1 ATLÉTICO - PARANÁ 5X0 FOZ DO IGUAÇU

- CAMPEONATO BAIANO:  JUAZEIRENSE 1X2 VITÓRIA - FLAMENGO 1X1 GALICIA - BAHIA 2X0 JACOBINA

- CAMPEONATO CEARENSE: FERROVIÁRIO 1X1 MARANGUAPE - TIRADENTES 3X3 GUARANI DE JUAZEIRO - HORIZONTE 1X0 FORTALEZA - CEARÁ 2X1 GUARANY DE SOBRAL

- CAMPEONATO GOIANO: ATLÉTICO 0X1 VILA NOVA - ANÁPOLIS 0X0 ITUMBIARA - APARECIDENSE 2X2 GOIAS

- CAMPEONATO PERNAMBUCANO: SPORT 3X0 CENTRAL - NAUTICO 1X1 SANTA CRUZ - BELO JARDIM 0X2 SALGUEIRO

- PRIMEIRA LIGA: (AMANHÃ) - AVAI/SC X LONDRINA/PR - (QUARTA) - CRUZEIRO/MG X ATLÉTICO/MG

- COPA VERDE - FASE PRELIMINAR - GALVEZ/AC 1X1 NACIONAL/AM - SETE DE DOURADOS/MS 1X1 CEILÂNDIA/DF

- TAÇA LIBERTADORES: (QUARTA) - ATLÉTICO/PR X MILLONÁRIOS/COL - BOTAFOGO/RJ X COLO COLO/CHI

- CAMPEONATO ALEMÃO: SCHALKE 04 0X1 EINTRACHT - WOLFSBURG 1X2 AUGSBURG - RED BULL LEIPZIG 2X1 HOFFENHEIM - WERDER BREMEN 1X2 BAYERN MUNCHEN - BAYER LEVERKUSEN 2X3 BORÚSSIA M´GLADBACH - FREIBURG 1X0 HERTHA BERLIN - MAINZ 05 1X1 BORÍSSIA DORTMUND

- CAMPEONATO ESPANHOL: REAL MADRID 2X0 REAL SOCIEDAD - OSASUÑA 1X1 MÁLAGA - ESPANYOL 3X1 SEVILLA - VILLAREAL 2X0 GRANADA - EIBAR 3X1 LA CORUÑA - BÉTIS 1X1 BARCELONA - ATHLETIC BILBAO 2X1 SPORTING GIJÓN - ALAVÉS 0X0 ATLÉTICO MADRID - (HOJE)  - LAS PALMAS X VALÊNCIA   

- CAMPEONATO FRANCÊS: OLYMPIQUE MARSEILLE 5X1 MONTPELLIER - LYON 1X2 LILLE - NANCY 0X2 BOURDEAUX - NICE 3X1 GUINGAMP - TOULOSE 0X3 ST ETIENNE - PSG 1X1 MÔNACO

- CAMPEONATO INGLÊS: (AMANHÃ) - ARSENAL X WATFORD - BUNRLEY X LEICESTER - SUNDERLAND X TOTTENHAM - SWANSEA X SOUTHAMPTON - WEST HAM X MANCHESTER CITY - (QUARTA) - LIVERPOOL X CHELSEA - STOKE CITY X EVÉRTON - MANCHESTER UNIDET X HULL CITY

- CAMPEONATO ITALIANO: FIORENTINA 3X3 GENOA - LÁZIO 0X1 CHIEVO - INTERNAZIONALE 3X0 PESCARA - TORINO 1X1 ATALANTA - SASSUOLO 0X2 JUVENTUS - UDINESE 2X1 MILAN - NAPOLI 1X1 PALERMO - SAMPDÓRIA 3X2 ROMA

- CAMPEONATO PORTUGUÊS: ESTORIL 1X2 PORTO - SPORTING 4X2 PAÇOS FERREIRA - (HOJE) - VITÓRIA DE SETÚBAL X BENFICA - (QUINTA) - RIO AVE X BRAGA

- CHAMPIONS LEAGUE: Os confrontos das oitavas serão: MANCHESTER CITY/ING X MONACO/FRA - REAL MADRID/ESP X NAPOLI/IT - BENFICA/PORT X BORÚSSIA DORTMUND/RFA - BAYERN MUNCHEN/RFA X ARSENAL/ING - PORTO/PORT X JUVENTUS/IT - BAYER LEVERKUSEN/RFA X ATLÉTICO MADRID/ESP - PSG/FRA X BARCELONA/ESP - SEVILLA/ESP X LEICESTER/ING

- LIGA EUROPA - Estão definidos os confrontos para a 1ª fase do mata da competição, antes das oitavas de final: APOEL/CHP x Athletic Bilbao/ESP - Ajax/HOL x Legia Varsóvia/POL - Zenit/RUS x Anderlecht/BEL - Genk/BEL x Astra Giurgiu/ROM - Saint-Étienne/FRA x Manchester United/ING - Roma/IT x Villarreal/ESP - Copenhague/DIN x Ludogorets/BUL - Shakhtar Donetsk/UCR x Celta/ESP - Osmanlispor/TUR x Olympiakos/GRE - Tottenham/ING x Gent/BEL - Sparta Praga/RTCH x Rostov/RUS - Fenerbahce/TUR x Krasnodar/RUS - Fiorentina/IT x Borussia Mönchengladbach/RFA - Lyon/FRA x AZ Alkmaar/HOL - Besiktas/TUR x Hapoel Beer-Sheva/ISR - Schalke 04/RFA x PAOK/GRE

- SUPERLIGA DE VÔLEI MASCULINA: 3ª RODADA - BRASIL KIRIN 3X0 MARINGÁ - SESI 3X2 MINAS TÊNIS - FUNVIC/TAUBATÉ 3X0 CANOAS - JUIZ DE FORA 3X2 SÃO BERNARDO - MONTES CLAROS 3X1 BENTO VÔLEI - SADA/CRUZEIRO 3X0 CARAMURU VÔLEI

- NBB: 17ª RODADA - PAULISTANO 77X78 MOGI - LIGA SOROCABANA 64X74 CAMPO MOURÃO - VITÓRIA 67X72 PINHEIROS - VASCO 78X77 FLAMENGO - CAXIAS DO SUL 66X52 MINAS - (AMANHÃ) - PINHEIROS X MACAÉ - BAURU X PAULISTANO - FRANCA X LIGA SOROCABANA

- MERCADO DA BOLA: O Flamengo vendeu o laterale squerdo Jorge, para o Mônaco/FRA, mas em compensação, contratou o atacante Orlando Berrio, junto ao Atlético nacional/COL. O Vasco acertou a contratação do lateral direito Gilberto, que estava na Fiorentina/IT. O Atlético/MG fechou a contratação do meio campo Elias, ex- Corinthians. O Grêmio/RS segue se reforçando e anunciou o lateral esquerdo Bruino Cortêz, mas anuncou ontem de modo surpreendente a transferência do meio campo Wallace para o Hamburgo/RFA. O Santos contratou o atacante Bruno Henrique, ex- Goiás e emprestou o meio campo Alison ao Red Bull. O atacante Alexandre Pato deixou o Villareal/ESP e fechou com o time chinês Tianjin Quanjian. O meio campo francês Payet deixou o inglês West Ham e volta ao seu pais para jogar pelo Olympique Marseille, que também, repatriou o lateral Evra, que estava na Juventus/IT.

- FÓRMULA 1: CALENDÁRIO 2017

17/03 – GP da Austrália
24/03 – GP da Malásia
14/04 – GP da China
21/04 – GP do Bahrein
12/05 – GP da Espanha
26/05 – GP de Mônaco
09/06 – GP do Canadá
16/06 – GP das Américas (Jérsei)*
30/06 – GP da Inglaterra
14/07 – GP da Alemanha
28/07 – GP da Hungria
25/08 – GP da Bélgica
08/09 – GP da Itália
22/09 – GP de Cingapura
06/10 – GP da Coreia do Sul
13/10 – GP do Japão
27/10 – GP da Índia
03/11 – GP de Abu Dhabi
17/11 – GP dos Estados Unidos
24/11 – GP do Brasil

- AMISTOSOS: SANTOS 5X1 KENITRA/MAR - PALMEIRAS 1X1 PONTE PRETA

- COPA DO BRASIL DE VÔLEI FEMININO - FINAL - REXONA/RIO DE JANEIRO (CAMPEÃO) 3X0 CAMPONESA/MINAS

- SUL AMERICANO SUB 20 - HEXAGONAL FINAL - (HOJE) - BRASIL X EQUADOR

FONTES: GAZETA ESPORTIVA, ESPN, SPORT TV, FOX SPORTS, UOL, TERRA, G1 e BAND ESPORTES

Até a próxima quinta!!!!

É AMANHÃ!!!!!


AOS FÃS e OUVINTES DO BLACK TOTAL:

BLACK TOTAL 114 - FAÇA O DOWNLOAD NO MEU BLOG -->> waguinhobsl.blogspot.com

COERÊNCIA EM NIVEL MASTER >>>>


BRASIL, PÁTRIA EDUCADORA:


SÓ PRA CONSTAR....


NA SÉRIE - CONCLUSÕES:


EM MENTIRAS DESLAVADAS....


QUE ISSO FERA ????!!!!!


UM AMOR DE FILHO....


ESCLARECENDO...


AGENDE-SE:


EXTRAIDO DO MORRI DE SUNGA BRANCA:

Rihanna e Azealia Banks fazem barraco na internet e divulgam seus números de celular



A rapper Azealia Banks resolveu tretar na internet com a rainha da porra toda: Rihanna.
Tudo começou há um tempo atrás na ilha do sol quando Riri postou a seguinte foto em seu insta:  


Riri nasceu em Barbados e fez um post criticando o governo Trump que está impedindo alguns imigrantes de entrarem nos EUA.
Na legenda diz: "A cara que você faz quando você é um imigrante"

Daí, Azealia que tem como maior esporte falar mal da diva dos guarda-chuvas, tirou print do post de Riri e postou em seu Instagram com a seguinte legenda:

" O que Rihanna quis dizer foi: ‘Eu cresci jogando futebol num quintal sujo com um coco e abri minhas pernas para todo e qualquer filho da puta que eu acho que pode me escrever músicas ou me comprar drogas. Eu mal consigo fazer um show porque eu bolo meus becks com cristais de metanfetamina e estou sempre brisada no palco.”
 


Daí Rihanna respondeu com outra foto em seu insta. No post tem uma foto de alguém com uma bandeira americana cobrindo o rosto, seguido da legenda: "A cara que você faz quando você tá gritando num quarto vazio". 


A rapper continuou a treta e fez mais dois posts, o primeiro falando pra Rihanna deixar de ser estúpida e ir ler uns livros e o segundo mandando ela comer nuggets (???)


Você achou que Riri deixou barato? Lógico que não, essa mulher só dá alegria pra gente e resolveu levar o barraco pro Twitter dela. Sabe o que ela fez? Trocou seu avatar por um print de tela de celular com uma conversa da Azealia mostrando inclusive o número de celular da rapper: 


O print parece ser a Azealia provocando Riri dizendo: 
"Eu não tenho que fazer nada pra você. Beyoncé já está trabalhando duro nisso. Já pensou em parar pra pensar que é por isso que você é viciada em drogas e sexo? "


Resultado? Azealia recebeu milhares de mensagens dos fãs de Riri em seu Whatsapp chamando ela de ~flop.
Inconformada, a rapper não teve ideia melhor e postou em seu Instagram o print com a foto mostrando o telefone da Rihanna aparecendo: 


Agora podemos enviar mensagens pro Whatsapp da Riri falando que ela deixa a Azealia no chinelo (ou na sandália mesmo).



POR LEANDRO KARNAL >>>>

Graças à internet, 'facilitamos muito para quem odeia', diz Leandro Karnal

Direito de imagem Thinkstock
Historiador e um dos palestrantes mais requisitados do país atualmente, Leandro Karnal diz que o discurso de ódio sempre existiu nas sociedades mas chama a atenção para a facilidade com que ele se propaga, hoje, graças à internet.
"Hoje é um clique e um site, com muitas imagens. Facilitamos muito para quem odeia. O ódio tem imenso poder retórico. Ele sempre existiu. Agora, existe este ódio prêt-à-porter, pronto, onde você se serve à la carte e pega seu prato preferido", disse ele à BBC Brasil.
Mas apesar da maior facilidade, hoje, de propagação do discurso de intolerância, o professor de história da Universidade Estadual de Campinas diz que "os mais sólidos preconceitos e violências humanos são muito anteriores à globalização".
Leia abaixo trechos da entrevista:
BBC Brasil - Uma das suas frases que mais viralizou e foi repetida em 2016 diz que "não existe país com governo corrupto e população honesta". O sr. acha que a população não se enxerga como responsável também pelo processo de corrupção?
Leandro Karnal - Característica nossa e da humanidade: excluir da parte negativa da equação o pronome pessoal reto EU. Em nenhum momento quis dizer que todos nós, brasileiros, somos corruptos, mas que a corrupção é algo forte na política e que a política é uma das camadas constituidoras do todo social, como um mil-folhas.
A política não é descolada da sociedade, mas nasce e volta ao mundo que a gerou. Os políticos são eleitos por nós. Denúncias são feitas e o político é reeleito. Seria coisa de grotões?
Direito de imagem Divulgação
Image caption Karnal afirma que o 'ódio é o mais poderoso opiáceo já criado'
De forma alguma, eu me refiro também aos grandes centros urbanos. A expressão rouba mas faz não nasceu no sertão mas na maior e mais rica cidade do país. Meu alunos costumavam assinar lista de presença por colegas e, depois, ir a uma passeata contra corrupção na política.
A mudança não pode ser somente numa etapa do processo. Se você usa - a metáfora é importante - um lava-jato para limpar seu carro e a estrada continua sendo de terra batida, você precisará de uma nova lavagem todos os dias.
BBC Brasil - Mas de certa forma, responsabilizar a população pela corrupção da classe política pode parecer culpar a sociedade pelos erros cometidos pela elite governista, não?
Karnal - O que eu desejo sempre afirmar é que não existe uma elite separada do todo. Um político ladrão deve ser preso e devolver o que roubou. A culpa é dele e só dele. Mas, se queremos um novo país, devemos discutir na base, na educação, na família, na fila do aeroporto e em todos os campos para uma sociedade mais ética.
BBC Brasil - Nesse sentido, é a desigualdade mesmo nosso maior problema?
Karnal - A desigualdade é a base do problema e colabora para a má formação escolar. Uma sociedade que seja desigual já é um problema, mas uma que não educa nega a chance de corrigir a desigualdade. Como sempre, educação escolar básica é a chave da transformação.
Mudar isto muda tudo, como vimos no Japão e na Coreia do Sul após a guerra. Educação é músculo e osso, limpeza ética do Senado é maquiagem, mesmo quando necessária, como toda maquiagem, passageira.
BBC Brasil - Tivemos nesse fim de ano o episódio do ambulante morto a pancadas após defender uma transexual, também tivemos uma chacina em Campinas na qual o autor deixou uma carta criticando o feminismo. O que explica essa intolerância - racial, de gênero, de classe -, e de que forma ela pode ser combatida?
Karnal - Sempre existiu este ódio que flui por todos os lados. Não é fácil existir e acumular fracassos, dores, solidão, questões sexuais, desafetos e uma sensação de que a vida é injusta conosco. O mais fácil é a transposição para terceiros.
Um homem fracassa no seu projeto amoroso. O que é mais fácil? Culpar o feminismo ou a si? A resposta é fácil. Tenho certeza absoluta de que o autor do crime não era um leitor de Simone de Beauvoir ou Betty Friedan. Era um leitor de jargões, de frases feitas, de pensamento plástico e curto que se adaptava a sua dor.
Esses slogans são eficazes: "toda feminista precisa de um macho", "os gays estão dominando o mundo", "sem terra é tudo vagabundo". Curtos, cheios de bílis, carregados de dor, os slogans entram no raso córtex cerebral do que tem medo e serve como muleta eficaz.
No cérebro rarefeito a explicação surge como uma luz e dirige o ódio para fora. Se não houvesse feminismo, o assassino continuaria sendo o fracassado patético que sempre foi, mas agora ele sabe que seu fracasso nasceu das feministas e ele não tem culpa. Isto é o mais poderoso opiáceo já criado: o ódio.
Direito de imagem BBC Brasil
Image caption O mercado não distingue consumidores pela posição política, destaca o historiador
BBC Brasil - De que forma as redes sociais acabaram potencializando essa intolerância e esse discurso de ódio. Eles são reflexo da nossa sociedade ou acabam estimulando os comportamentos mais intolerantes e polarizados?
Karnal - Antes era preciso ler livros para criar estes ódios. Mesmo para um homem médio da década de 1930, ele precisava comprar o Mein Kampf de Hitler e percorrer suas páginas mal redigidas. Ao final, seus vagos temores antissemitas era embasados numa nova literatura com exemplos e que fazia sentido no seu universo. Mesmo assim, havia um custo: um livro.
Hoje é um clique e um site, com muitas imagens. Facilitamos muito para quem odeia. O ódio tem imenso poder retórico. Ele sempre existiu. Agora, existe este ódio prêt-à-porter, pronto, onde você se serve à la carte e pega seu prato preferido.
Exemplo? Uma pessoa me disse: "Quem descumpre a lei deveria ser fuzilado! Bandido deveria ser executado". Eu argumentei: "Pela sua lógica, descumprimento da lei merece pena capital. Como a lei brasileira proíbe a pena capital, você está defendo crime e incitação ao crime, na sua lógica, deveria ser punida com pena de morte."
Era uma maneira socrática de argumentar a contradição do enunciado. O caro leitor pode supor que a resposta do indivíduo não foi socrática nem platônica.
Direito de imagem PA
Image caption Karnal destaca que ' a bolha informacional e seus respectivos algoritmos constituem uma zona de conforto para o navegador do cyberespaço'
BBC Brasil - Pensando num contexto geral, a globalização deu errado? Com esse discurso de fechar fronteiras, de medidas protecionistas...Estamos vivendo um retrocesso, um avanço ou uma estagnação?
Karnal - Não havia um mundo harmônico e feliz antes, e não existe agora. O que varia em história é como produzimos a dor. Nosso método atual mudou este método. Os mais sólidos preconceitos e violências humanos são muito anteriores à globalização.
BBC Brasil - Para muitos, 2016 foi um ano marcado pelo avanço de forças conservadoras. Em 2017, haverá eleições na França e na Alemanha, com os partidos de extrema-direita em ascensão. O que vem pela frente?
Karnal - Difícil falar de futuro para um historiador, profissional do passado. A tendência é de uma onda conservadora por alguns anos em quase todos os lugares. Provavelmente, seguindo o que houve antes, depois de experimentar candidatos conservadores que prometem o paraíso e não vão conseguir, os eleitores estarão de novo inclinados a candidatos de outro perfil que oferecerão o paraíso.
As coisas mudam, mas não mudam porque o presidente usa topete ou é conservador. Presidente democratas estavam no poder com Kennedy e Johnson e a violência racial chegou ao ponto máximo. No período Obama, muitos policiais mataram muitos negros, tendo um presidente negro no poder. Então, de novo, não estamos abandonando um paraíso e ingressando no inferno.
Direito de imagem Divulgação
Image caption O dicionário Oxford escolheu "pós verdade" como a palavra de 2016
BBC Brasil - O dicionário Oxford escolheu "pós-verdade" como palavra do ano de 2016. A definição é "circunstâncias em que os fatos objetivos têm menos influência sobre a opinião pública do que apelos à emoção e a crenças pessoais". O conceito é de que a verdade perdeu o valor, e acreditamos não nos fatos, mas no que queremos acreditar que é verdade. Qual sua avaliação sobre essa "nova era" e novo comportamento, que acaba reforçado pelas redes sociais?
Karnal - Sempre fomos estruturalmente mentirosos em todos os campos humanos. A mudança é que antes se mentia e se sabia a diferença entre mentira e verdade, hoje este campo foi esgarçado. O problema talvez seja de critério. Com a ascensão absoluta do indivíduo, o que ele considerar verdade será para ele.
Perdemos um pouco da sociologia da verdade, ou de um critério mais amplo de validação do verdadeiro. No século 18 era o Iluminismo: o método racional que tornava algo aceito como verdade. No 19, foi a ciência e o método empírico para distinguir falso de verdadeiro.
Hoje o critério é a vontade individual. "A água ferve a 100 graus centígrados ao nível do mar". Verdade? A resposta seria diferente no (século) 19 e hoje.
BBC Brasil - Queria falar um pouco sobre as bolhas informacionais. Muita gente se depara com elas nas redes sociais todos os dias - os algoritmos acabam reforçando opiniões, nos oferecendo mais daquilo que nós já acreditamos e isso favorece, de certa forma, as informações equivocadas, mentirosas. Qual sua avaliação sobre isso e sobre o impacto disso para a sociedade?
Karnal - A bolha informacional e seus respectivos algoritmos constituem uma zona de conforto para o navegador do ciberespaço. Importante dizer: para o mercado, o consumidor conservador ou de esquerda compram da mesma forma, então o algoritmo informa qual o perfil do consumidor.
Quem deseja ler a biografia de Obama ou de Trump vai ao mesmo site. O que não mudou nos últimos séculos é que a verdade comercial é superior ao debate epistemológico de validação ou não do que é verdadeiro. Petralhas e coxinhas compram; isentões também. Resta a pergunta que não quer calar: qual a importância do debate sobre posição política sob este prisma? O que de fato importa para quem de fato manda no mundo?